fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Reguffe: “Gostaria de entender o Rodrigo (Rollemberg)”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Um dos principais aliados de Rodrigo Rollemberg ao Governo do DF, o senador Reguffe (sem partido) diz não entender o chefe do Executivo local. “Gostaria de entender o Rodrigo. Não consigo. Será que alguém, em sã consciência, acha que é justo pagar impostos para comprar remédios de uso contínuo? O correto seria o governo distribuir gratuitamente os remédios de uso contínuo para toda a população, mas, na impossibilidade financeira disso, o mínimo que o governo deveria fazer é não tributar esses remédios”, pontua.

Compromisso esquecido

Um dos compromissos de Rollemberg era devolver os impostos sobre medicamentos. E era a principal cobrança do senador em relação ao governador. “Existem famílias que gastam mais de R$ 3 mil por mês com remédios de uso continuado, isso é a vida real das pessoas. O compromisso de não se tributar os remédios, de se devolver os impostos dos remédios para a população através do Nota Legal, constava do programa de governo do Rodrigo e não pode ser simplesmente esquecido como o governo está fazendo. Isso não é correto. E não é justo”, afirma Reguffe. “Gostaria – e espero – que o Rodrigo, enfim e de uma vez por todas, tome uma providência prática com relação a isso”, diz.

Diligência em Goiânia

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) viaja amanhã para Goiânia para tratar da violência policial em manifestações. Na agenda, uma visita ao estudante Mateus da Silva, 33 anos, que está internado em estado grave no Hospital de Urgências de Goiânia, depois de ter sido agredido por um policial militar, durante manifestações contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Se esses corredores falassem…

Um boato tem agitado os corredores e os gabinetes da Câmara Legislativa. Espalharam por lá que o Ministério Público do DF investiga os 24 deputados distritais por irregularidades na destinação de emendas ao orçamento. Agaciel Maia (PR) e Lira (PHS) já são oficialmente investigados. Mas tem mais gente de cabelo em pé. Oficialmente, no MP, não há nada em curso contra todos os parlamentares.

Bloco liberado

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O bloco Sustentabilidade e Trabalho se reuniu e liberou os deputados para votar como querem no projeto que cria o Instituto Hospital de Base. Em princípio, já se sabe que Cláudio Abrantes (Rede) e Reginaldo Veras (PDT) são contrários à proposta. Ainda faltam Israel Batista (PV) e Chico Leite (Rede).

Assistência jurídica

Uma Proposta de Emenda à Lei Orgânica do DF de autoria da deputada distrital Telma Rufino (Pros) garante assistência jurídica gratuita para bombeiros e policiais civis e militares. Conforme o texto, a assistência deverá ser prestada sempre que os profissionais foram envolvidos em fatos de natureza penal ou administrativa, no exercício das funções. O serviço, conforme o texto, não se aplicará para defesa em processos por improbidade administrativa, fruto de processo administrativo disciplinar.

Prejuízos ressarcidos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Caesb deverá ressarcir o cidadão por prejuízos que os consumidores tenham na instalação hidráulica devido ao racionamento de água. Pelo menos é o que quer a deputada Liliane Roriz (PTB), que apresentou um projeto de lei na Câmara Legislativa com este fim. “Já ouvi reclamação de inúmeras pessoas em meu gabinete e em minhas visitas às cidades que, após o corte do fornecimento de água, devido ao rodízio ocasionado pela crise hídrica, quando a água volta, vem com muita força e acaba causando danos que geram prejuízos ao consumidor”, explica a parlamentar. Também é projeto de Liliane a obrigatoriedade de a Caesb informar aos consumidores, nas contas de água, que esses possíveis prejuízos serão ressarcidos e quais procedimentos o consumidor deve adotar para que isso aconteça.

Enfim, o relatório

A leitura do relatório final da CPI da Saúde será lido hoje, pelo relator, deputado Lira (PHS), no plenário da Câmara Legislativa.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade