Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Palanque conjunto

Também participaram a deputada Celina Leão, que deve buscar a reeleição, e os secretários de Meio Ambiente, Sarney Filho, e de Governo, José Humberto

Por Eduardo Brito 17/05/2022 5h00
Foto: Lucio Bernardo Jr / Agência Brasília

Conforme decidido há dez dias, em meio a turbulências criadas na sua base, o governador Ibaneis Rocha e a deputada brasiliense Flávia Arruda intensificaram o palanque comum. Estiveram lado a lado nesta segunda-feira, 16, na festa de comemoração do Dia do Gari, na Avenida das Nações. Também participaram a deputada Celina Leão, que deve buscar a reeleição, e os secretários de Meio Ambiente, Sarney Filho, e de Governo, José Humberto, que não são candidatos a nada. Mais de 3 mil garis ouviram Flávia e Ibaneis dizer que por conta deles Brasília é uma das cidades mais limpas do País, posar para fotos e, enfim, conduzir a assinatura do decreto que define o dia 16 de maio ponto facultativo para homens e mulheres responsáveis pela limpeza do Distrito Federal.

Da Terra Santa

Curtindo turismo religioso em Israel, ao lado da primeira dama Michelle Bolsonaro, a ex-ministra Damares Alves tem usado as redes sociais para postar mensagens de claro cunho político. Ao mesmo tempo em que fala do que sente na viagem, como “andar pelos lugares onde Jesus andou é uma emoção que explode em lágrimas”, ela aborda temas como o combate ao aborto, a iminência de aprovação do ensino domiciliar e o uso de dinheiro público para financiar cantores em shows de natureza eleitoral. Chegou a organizar um jogralzinho com Michelle Bolsonaro para “mandar um abraço a todas as famílias brasileiras”, pouco antes de um passeio de barco pelo Mar de Galiléia, onde seu grupo de turistas cantou o Hino Nacional em coro e fez elogios a Israel. Toda a temática tem endereço certo: o eleitorado evangélico a que ela se dirige prioritariamente.

Guerra em Ceilândia

Distrital com a segunda maior votação nas últimas eleições, e apenas 37 votos abaixo da primeira, o delegado Fernando Fernandes passou a maior parte de seu mandato na administração regional de Ceilândia, seu reduto eleitoral. Deixou o cargo nas últimas horas do prazo para desincompatibilização e tenta agora a reeleição. Enfrenta, porém, uma guerra interna justamente na cidade que administrou. Seu sucessor no cargo é um antigo amigo e aliado, Cláudio Ferreira. Mas o fogo amigo funcionou. Ferreira já está demissionário e não fica na administração.

Já candidato

O Partido Novo aprovou em seu chamado processo seletivo uma segunda candidatura a senador do advogado Paulo Roque. Ele conta com um trunfo: na eleição passada tinha apenas três segundos no horário eleitoral, o que mal dava para dizer seu nome, e mesmo assim passou dos 200 mil votos. Desta vez terá mais tempo, provavelmente 15 segundos, cinco vezes mais. Paulo Roque reafirmará seu compromisso com respeito ao direito dos pagadores de impostos, à eficiência do setor público e à criação de oportunidades para os mais jovens. Promete ainda que não gastará na campanha um só centavo de dinheiro público. O Partido Novo não saca os recursos do Fundo Partidário e Eleitoral.

Mulheres no governo

Candidata do PSOL ao Buriti, Keka Bagno andou fazendo contas. Constatou que em 2018 apenas 30 mulheres se candidataram aos cargos de governo. Uma se elegeu. Em uma retrospectiva, em onze eleições gerais – ou seja, desde que o voto direto foi restabelecido – só oito mulheres foram eleitas governadoras. E, pelas contas de Keka Bagno, delas apenas três estão no campo progressista. “Espero que neste ano façamos diferente”, conclui ela.

Com Simone

Hoje candidato a distrital, o ex-vice-governador Tadeu Filippelli recebeu mensagem em que a presidenciável de seu MDB, Simone Tebet, lhe deseja muita energia e avisa que tem por ele um carinho especial. Simone lembra que Filippelli conviveu por muito tempo no Congresso com o pai dela, que foi senador por dois mandatos quando Filippelli era deputado federal. Após exercer seu primeiro mandato parlamentar como distrital, Filippelli foi federal por três vezes, de 1999 a 2011, quando se elegeu vice de Agnelo Queiroz e, com ele, foi derrotado na tentativa de reeleição. Ainda participou do governo Temer e depois tentou voltar à Câmara dos Deputados, mas ficou só na suplência. Chegou a exercer o mandato por curto período, mas agora tenta voltar a ser distrital.

Na fila de espera

Tramita na Câmara Legislativa há mais de quatro anos um Processo Disciplinar instaurado a pedido do distrital Roberio Negreiros contra um antigo servidor. É suspeito de ter dado aulas em instituições particulares de ensino por 15 anos nos horários em que deveria estar no cumprimento de seu expediente na Casa. Problema é que o processo pode implicar devolução de mais de R$ 2 milhões à Câmara.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Festa no Mané

A Secretaria do Trabalho programa uma grande festa no dia 31 de junho, no estádio Mané Garrincha, para a formatura das primeiras 12 mil pessoas formadas pelo programa QualificaDF. O projeto oferece mais de 50 cursos profissionalizantes nas áreas de comércio, serviços, agronegócio, saúde e informática. Com o diploma, a Secretaria de Trabalho vai ajudar os novos profissionais a conseguir uma vaga de emprego. Ainda este ano outras 12 mil pessoas serão qualificadas.








Você pode gostar