fbpx
Siga o Jornal de Brasília

de Passagem

Explore o Cerrado!

Viver é uma viagem! Uma jornada em que as experiências e as memórias constituem o que nos tornamos, na verdade o que somos.

André Perotto & Alfredo Moreira

Publicado

em

cerrado
Chapada dos Veadeiros. Foto: Rui Faquini/Agência Goiânia de Turismo
PUBLICIDADE

Viajar é uma grande oportunidade de expandir as possibilidades, visitar culturas, conhecer novas cores, cheiros e sabores. Sair com a certeza de que ao voltar definitivamente não será mais o mesmo. É por isso que é tão fascinante o poder de explorar o novo.

É bem fácil se perder na saudade de uma viagem inesquecível. Até os perrengues muitas vezes são lembrados com alegria.

Quem não quer enriquecer a sua biografia, seu álbum de fotos, o mural de postais (que muitas vezes nós mesmos nos enviamos) e por que não a sua rede social com uma coleção de fotos geolocalizadas que serão resgatadas nos saudosos #tbts.

É bem provável que a vontade de explorar é inerente ao ser humano. É ela que o motiva conhecer o mundo, visitar outras regiões, outros países e buscar o desconhecido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em meio a tantas possibilidades, muitas vezes deixamos de olhar para o “nosso quintal” e viver coisas fascinantes, abrindo mão de resgatar nossa própria cultura e a incrível conexão com as origens da região que escolhemos viver.

Aqui no DF temos o Cerrado e os horizontes infinitos do Planalto. A região escolhida para sediar a capital do nosso Brasil é fantástica na sua geografia e traz uma história incrível, que remonta as bandeiras do século XIX.

Pouco mais de 200 quilômetros separam Brasília da magnífica Chapada dos Veadeiros e suas centenas de cachoeiras e todas as oportunidades de “re” conexão com a natureza. Ali mesmo é possível conhecer as preciosidades da cultura Kalunga, boas cervejas artesanais e algumas singularidades como a coxinha de massa invisível do restaurante Portugal, sofisticada na sua simplicidade.

Pirenópolis, também fica próxima, com o seu turismo democrático que vai do “cama e café” até as pousadas de charme. A noite acontece nos restaurantes e bares da Rua do Lazer e o dia nas cachoeiras bem acessíveis ou até em experiências únicas, como a visita à histórica Fazenda Babilônia; o tour ecológico, sustentável e gastronômico do Santuário de Vida Silvestre Vagafogo ou a visita à intrépida vinícola Pirineus.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Muitas paradas na estrada são oportunidades de reviver a cultura goiana na sua mais pura e viva forma que é a culinária, genuína e orgulhosamente caipira. Como o disco de carne do Bar do Lázaro, em Alexânia, as cachaças – temos a famosa e conceituada Cachaça do Ministro ou a produção do Alambique Cambéba – sem contar os doces cristalizados, a pamonha, o cural de milho, o empadão, o frango de molho feito no fogão de lenha, o biscoito frito, o queijo fresco, a linguiça e tantas outras iguarias que são motivo de orgulho dos goianos.

Goiânia é literalmente um espetáculo com seus restaurantes premiados, os bares famosos, as feiras, baladas sertanejas e os festivais de rock. Tem espaço para todo mundo!

As pequenas montanhas nos arredores do DF atraem um crescente grupo de escaladores que por sua vez dividem espaços com ciclistas que exploram as estradas em trilhas desafiadoras.

As nossas águas abrem um “mar” de oportunidades que vão de um simples banho de cachoeira, para o bóia-cross , rafting, pesca, SUP, passeios e esportes náuticos (inclusive no Lago Paranoá), as mundialmente famosas águas termais de Caldas Novas e até as praias de água doce nas temporadas do Rio Araguaia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na verdade, é que esse texto é o pretexto para um convite, quase um apelo, que a partir de agora será semanal: “explore o cerrado” e descubra as maravilhas que estão no “seu quintal”.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade