Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Uma estratégia de mafioso

Por Leandro Mazzini 24/11/2023 10h27
Foto: Reprodução

Um dos principais executivos de uma das maiores empresas de energia do País – a Coluna, por ora, não vai citar o seu nome mas tem os prints  – após ser convidado por um deputado federal para dar esclarecimentos sobre suposta sugestão dada ao Governo de trocar a tributação de empresas offshore por uma lista de empresas concorrentes que deveriam ser perseguidas pela União, adotou uma estratégia ainda mais agressiva contra esses concorrentes. Ele tem enviado mensagens para colaboradores próximos detalhando a vida de executivos de seus concorrentes, e ao final, deixando a seguinte mensagem ameaçadora: daqui para frente esses executivos de seus concorrentes terão sérios problemas na vida. Duas perguntas ficam no ar: o que ele quer dizer com sérios problemas na vida; e se essas mensagens seriam um desabafo ou forma transversa de enviar recados para os concorrentes.

 

Frente x Marinho

 

Charge por @izanio_charges

 

A Frente Parlamentar do Empreendedorismo (FPE) mostrou força ao pressionar o Governo para suspender a portaria que restringia o trabalho aos domingos e feriados. A bancada, comandada pelo deputado Joaquim Passarinho (PL-PA), protocolou 17 projetos para derrubar a nova regulamentação. Conforme decisão (recuo) do ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, um grupo será formado para discutir e refazer o texto da portaria.  

 

Violência doméstica

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A empresária Luíza Brunet, que em 2016 foi vítima de agressão – por parte do ex-companheiro, o empresário Lírio Albino Parisotto – está no Ceará fazendo palestra para 300 mulheres e se tornou há anos uma líder mundial no enfrentamento à violência contra a mulher.  Parisotto foi condenado por crime de lesão corporal. A pena de um ano de prisão foi convertida em prestação de serviços à comunidade.

 

Sucessão Moro 

 

Diante da eventual cassação do senador Sergio Moro (União), alvo de ações na Justiça Eleitoral, políticos paranaenses já se movimentam para sucedê-lo. Estão no páreo o ex-ministro e ex-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP), a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, o ex-governador Roberto Requião (PT-PR), o deputado Paulo Martins (PL), o ex-senador Álvaro Dias (Podemos) e a deputada Rosângela Moro (União).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

MDB diverso 

 

De olho nas eleições municipais, o MDB se movimenta. O presidente Baleia Rossi marcou para o dia 29 as convenções nacionais dos Núcleos de Apoio do partido. A ideia é mobilizar o MDB Jovem, Socioambiental e Proteção Animal, Diversidade, Trabalhista e Afro. Com a eleição de dirigentes nessas áreas, o partido espera reforçar o que sempre fez: ser um partido de expressão nacional, mas que mantém uma grande força nas bases. 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Morte & anistia 

 

Após a morte de Cleriston Pereira da Cunha na Papuda, onde estava preso pelo vandalismo das sedes dos três Poderes em 8 de janeiro, senadores bolsonaristas cobram  a aprovação do projeto (PL 5.064/2023) que concede anistia aos acusados e condenados em razão das manifestações. “Dão anistia para tanto vagabundo, para tanto canalha, por que não podem dar anistia para eles?”, diz o senador Cleitinho (Republicanos-MG).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE





Você pode gostar