Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

“Napoleão” de Ridley Scott tem impressionantes sequências de combate

Longa ainda aborda o grande romance do líder francês com Josephine, vividos por Joaquin Phoenix e Vanessa Kirby

Joaquin Phoenix vive o líder francês no novo filme de Ridley Scott “Napoleão” — Foto: Divulgação/Sony Pictures

Ridley Scott é conhecido por grandes filmes como “Blade Runner – O Caçador de Andróides” (1982), “Gladiador” (2000), “Cruzada” (2005) e vários outras produções que o tornaram um nome de peso para o cinema, se destacando principalmente por suas sequências em batalhas. Nesta quinta-feira estreia seu mais novo longa “Napoleão” que conta a rápida e implacável ascensão do líder francês sob um olhar original e pessoal do cineasta, o filme ainda destaca o conturbado relacionamento do imperador com Josephine, vividos por Joaquin Phoenix e Vanessa Kirby.

Vindo do nada, como um oficial de artilharia do exército francês, Napoleão Bonaparte conquistou seu país com sua estratégia e mente brilhante, o longa retrata sua jornada, até ser derrotado e exilado na ilha de Santa Helena. Visto através do prisma de seu relacionamento visceral e muitas vezes volátil com sua esposa e verdadeiro amor, Josephine. Suas táticas lhe renderam uma forte reputação e foi preciso sete coalizões de potências diferentes para derrotá-lo. 

Foto: Divulgação/Sony Pictures

O diretor Ridley Scott tem uma elegância admirável, se sobressaindo nas sequências de combates, que são impressionantes. São muitas câmeras usadas, um som alarmante e atraente, além de uma ótima coreografia planejada de ação. Scott transmite todo o cuidado meticuloso do planejamento estratégico de Napoleão. 

São várias batalhas no filme, uma em especial se destaca, quando ainda jovem antes de se tornar o imperador da França, lidera um grupo “pequeno” em Toulon contra os britânicos, Napoleão com sua agilidade muda o rumo do seu destino. Uma cena com uma mixagem de som que se mistura com a respiração do protagonista e ainda contém, luta entre espadas, explosões e uma vitória emocionante. 

Foto: Divulgação/Sony Pictures

Com roteiro de David Scarpa, “Todo Dinheiro do Mundo” (2017), a produção tem chamado atenção de alguns historiadores por conter cenas que não aconteceram na realidade, como por exemplo uma situação na batalha no Egito. Além de focar de forma mais curta dividida por períodos, o que é bom para mostrar todas as suas vitórias, contudo acaba não focando de forma mais profunda em nenhuma delas. 

Uma cena que já causa uma grande repercussão é a abertura do longa com a austríaca até então rainha da França, Maria Antonieta sendo condenada à morte na guilhotina em 1793 pelos revolucionários da Revolução Francesa. Esse corte mostra a caminhada do fim da monarquia e todas as possibilidades ali presentes. (No filme Napoleão está presente no desfecho fatídico da rainha consorte, entretanto esse é outro fato contestado por historiadores). 

Vanessa Kirby da vida para a Imperatriz       Joséphine — Foto: Divulgação/Sony Pictures

Sem dúvida nenhuma o segundo grande destaque fica para o relacionamento, muitas vezes conturbado com Joséphine interpretada pela magnífica Vanessa Kirby, juntos eles tem uma excelente química suas cenas beiram a sátira com humor ácido. A personagem consegue desbloquear a psique de Napoleão fazendo todos esquecerem sua grande liderança. Além de ser muito envolvente ver a narração das cartas que ambos usavam para se comunicar durante o período separados e que só podiam revelar seus sentimentos por elas. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Joaquin Phoenix é um ator com muitas singularidades, ele entra no personagem de maneira única, equilibrada, pronto para o que der e vier. Seu Napoleão, pode muitas vezes ser visto como sem coração, menos por Joséphine, seu amor por ela é muitas vezes abusivo e irresponsável. Ele ainda tem uma personalidade rebelde e só se torna cauteloso e preparado para as batalhas fora delas não tem nenhum trejeito social.

Foto: Divulgação/Sony Pictures

Conclusão

“Napoleão” é um filme tanto quanto repetitivo em suas sequências: guerra, Joséphine, guerra, Joséphine e por aí vai. Ele não foca em nenhum recorte mais detalhado da vida do Imperador, todavia tem cenas magníficas das batalhas, um relacionamento visceral entre os protagonistas e ótimas atuações sem falar na direção de arte que merece todos os aplausos. Ridley Scott já confirmou que posteriormente o filme ganhará um corte de 4 horas para a Apple TV, que provavelmente deverá focar em momentos mais específicos da vida de Napoleão.

Confira o trailer:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ficha técnica:

Direção: Ridley Scott;

Roteiro: David Scarpa;

Elenco: Joaquin Phoenix, Vanessa Kirby, Tahar Rahim; 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Gênero: Drama, biografia, ação;

Distribuição: Sony Pictures;

Duração: 158 minutos;

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Classificação Indicativa: 16 anos;

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assistiu à cabine de imprensa a convite da Espaço/Z






Você pode gostar