Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Perda de peso é prioridade para tratar Diabetes Tipo 2

Estudos recentes de sociedades internacionais alegam que tratamento da obesidade deve ser o primeiro passo tratamento da doença

Por Analice Nicolau 04/08/2022 7h00
Estudos recentes de sociedades internacionais alegam que tratamento da obesidade deve ser o primeiro passo tratamento da doença

A perda de peso tornou-se prioridade para o tratamento do Diabetes Tipo 2. A nova orientação de conduta clínica está sendo colocada pela primeira vez como medida que antecede a redução nos níveis de glicemia para o sucesso no controle do diabetes tipo 2.

A Sociedade Americana de Diabetes e a Sociedade Europeia propuseram um novo algoritmo, orientando que o tratamento da obesidade deve ser o primeiro passo para os casos do diabetes tipo 2 e, consequentemente, para reduzir os índices glicêmicos.

A proposta também deverá chegar ao Brasil neste ano e integrar os algoritmos da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).

Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), Dr. Fábio Viegas

Além do tratamento clínico convencional, que prevê dieta, atividades físicas, terapia comportamental e medicamentos para controle da obesidade e do diabetes, a Sociedade Americana de Diabetes também passou a recomendar a cirurgia metabólica para pacientes que não alcançam perda de peso duradoura ou melhora das comorbidades com métodos não cirúrgicos.

Vários ensaios clínicos randomizados mostraram melhorias no controle glicêmico com tratamento cirúrgico versus tratamento médico. Uma metanálise de coorte pareada e estudos prospectivos controlados mostraram menor mortalidade por todas as causas com cirurgia metabólica, especialmente em indivíduos com diabetes preexistente.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), Dr. Fábio Viegas, a relação entre o excesso de peso e o diabetes tipo 2 é clara e já conhecida pela medicina e comunidade científica.

“A obesidade é uma doença crônica e multifatorial. Quanto maior for a quantidade de gordura corporal de um paciente, maior será a resistência insulínica e por consequência haverá um aumento dos níveis de glicose no sangue. Isso pode levar ao diabetes tipo 2 e agravar os casos em que a doença já é pré-existente. Por isso a perda de peso é tão importante para o controle do diabetes”, afirma Viegas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
No Brasil, a obesidade aumentou 72% entre 2006 e 2019, saindo de 11,8% para 20,3%

Obesidade e Diabetes no Brasil

No Brasil, a obesidade aumentou 72% entre 2006 e 2019, saindo de 11,8% para 20,3%, segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). O excesso de peso (IMC igual ou maior que 25) está presente em 55,4% dos brasileiros.

Com relação à diabetes, o Brasil é o sexto país em incidência da doença no mundo e o primeiro na América Latina. São 15,7 milhões de pessoas adultas com esta condição, e a estimativa é que, até 2045, a doença alcance 23,2 milhões de adultos brasileiros. Cerca de 90% dos casos de diabetes no mundo são do Tipo 2, que está relacionado com o excesso de peso e resistência à insulina, segundo a Federação Internacional de Diabetes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar