Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Planeta dos Macacos: A Guerra marca o fim da trilogia

Por Arquivo Geral 03/08/2017 6h30

A partir do clássico de 1968, estrelado por Charlton Heston (1923-2008) e intitulado O Planeta dos Macacos, foi criada uma nova série de filmes, que explicam o que ocorreu antes da história contada na produção. O aguardado longa que estreia nesta quinta, 3, Planeta dos Macacos: A Guerra, encerra essa trilogia, que começou com Planeta dos Macacos: A Origem (2011) e foi seguida por Planeta dos Macacos: O Confronto (2014).

No longa dos anos 1960, um astronauta pensa estar em um planeta habitado por macacos quando percebe que está na Terra, agora dominada pelos animais.

No filme que estreia hoje, o protagonista é novamente o macaco César (Andy Serkis), líder de sua espécie. Na trama, os macacos estão refugiados na selva, enquanto travam uma terrível guerra contra os humanos. César se mostra disposto a viver livre no meio da floresta, mas os humanos, em especial o Coronel (Woody Harrelson), insistem em persegui-lo.

“Acho que o grande tema desse filme é a empatia. Vivemos em um mundo em que perdemos a capacidade de sentir empatia por pessoas de outros países ou de outras religiões. O César, pela primeira vez, perde essa empatia e começa a ser movido pelo ódio”, define o ator inglês Andy Serkis.
É que, no meio da guerra, Coronel tira César do controle ao matar quase toda a sua família. O líder, assim, parte para a vingança.

“Há filosofia, mas também ação, já que é um filme que retrata uma guerra. Há muita violência também. As cenas em que os macacos são metralhados são difíceis de assistir”, diz.

Maquiagem digital

O ator inglês Andy Serkis ficou conhecido após interpretar o estranho Gollum da trilogia de O Senhor dos Anéis (2001-2003). Para vivê-lo, Serkis utilizou uma tecnologia chamada “motion capture” – que capta as expressões da face o ator, dando vida a um personagem digital na tela. Serkis usou a mesma tecnologia para interpretar o macaco César, em Planeta dos Macacos: A Guerra).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“De Gollum para cá, a tecnologia mudou muito. Antes, eu não podia me mover nem sair de dentro de um estúdio. Hoje, podemos levar todo o equipamento a campo e interagir com os outros atores”, explica Serkis.

A perfeição no rosto dos macacos chama a atenção de quem assiste ao filmes e é facilmente notada neste novo filme, em que César passa por muita emoção, em diversas situações de dor e sofrimento. Serkis pôde, assim, mostrar todo o peso da sua atuação. “Usar essa ferramenta não cria um jeito novo de atuar. A preparação é a mesma. É como se fosse uma maquiagem digital”, esclarece o astro inglês, que teve momentos muito intensos na pele do macaco. “Foram meses de filmagem no inverno. César ora estava crucificado, ora estava apanhando, ora estava enjaulado, descreve”, descreve o ator.

Planeta dos Macacos: A Guerra
Direção: Matt Reeves
Elenco: Andy Serkis, Woody Harrelson, Steve Zahn mais
Gêneros: Ficção científica, Ação, Aventura
Nacionalidade: EUA
Duração: 2h20
Estreia: Hoje

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar