Siga o Jornal de Brasília

Viva

Guitarrista brasiliense concorre a premiação internacional

Publicado

em

Publicidade

Lúria Rezende

Especial para o Jornal de Brasília

Aos quatro anos de idade, o guitarrista Ítalo Cunha teve o primeiro contato com um instrumento musical. Foi com o piano da tia, professora da Escola de Música, que o artista aprendeu seus primeiros acordes. Hoje, aos 23, ele concorre a uma vaga para ingressar no hall dos melhores guitarristas de jazz da atualidade. As votações para as semi-finais do prêmio Wes Montgomery Competition, realizado em Nova York, se encerram amanhã e Ítalo está na disputa. 

Esperança de mais um título musical para Brasília, já que a capital esteve em evidência na última semana graças ao talento de Pedro Martins, que ganhou a Socar Guitar Competition, favorito do júri e do público, no 49ª Montreux Jazz Festival, na Suíça. Em fevereiro, Camila Márdila, 26, ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Sundance por sua atuação, ao lado de Regina Casé, no longa Que Horas Ela Volta?, na categoria drama mundial.

Trajetória

Para Ítalo, que se mudou para Boston, nos Estados Unidos, aos 16 anos ao ganhar uma bolsa de estudos para a Berklee College of Music, voltar para Brasília e ser reconhecido internacionalmente é um sonho realizado. “É ótimo representar o Brasil e a minha cidade. Embora eu tenha voltado para Brasília, graças à internet, tenho acesso a competições fora do País. Isso me deixa mais perto da família, sem estar longe do trabalho”, conta. Os finalistas serão conhecidos no fim de julho. A final está marcada para 10 de outubro.

O virtuose está em segundo lugar no ranking dos mais votados pelo júri popular na internet. Para angariar também os votos dos jurados técnicos, os competidores do mundo todo precisam passar por três etapas. “Apresentamos três músicas: uma do Wes Montgomery, que é o Pelé da guitarra do jazz; uma balada, que é uma música mais lenta; e uma outra canção da escolha do participante”, explica. Além disso,  a performance em palco de Ítalo Cunha também foi avaliada em vídeo enviado para a competição. O link para votar no guitarrista brasiliense está em sua página no Facebook (facebook.com/italofmachado).

Colecionador de prêmios e agenda cheia

Com uma bagagem que cresce cada dia mais, Ítalo Cunha ganhou o prêmio The Jimi Hendrix Award (2010), destinado ao guitarrista mais proeminente da Berklee. E também foi semi-finalista da Yamaha Six String Theory International Guitar Competition, nomeado melhor produção autoral no Evvy Awards Winners (2013) e melhor composição no International Songwriting Competition (2013), onde competiu com mais de 20 mil pessoas.

Além disso, realizou turnês de shows e workshops na Noruega, República Dominicana e EUA. Em 2011, a composição autoral Alegria fez parte do álbum Love Conquers All, que arrecadou dinheiro para as vítimas de um terremoto no Japão.

Atualmente, Ítalo tem uma empresa de consultoria de guitarra para alunos avançados. “Ensino guitarra e improvisação para pessoas que querem saber técnicas que aprendi em Berklee. Dou aula para um dos meus primeiros professores de guitarra”, diz.

“Com repertório de jazz e pop internacional”, o projeto Ítalo Cunha Trio já está com agenda cheia para o mês de julho. Dia 21 de julho, no Feitiço Mineiro (306 Norte); 25, no Stadt Beer (409 Norte); e dia 30, no Shloss (309 Norte).


Você pode gostar
Publicidade