fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Tenistas brasileiros abrem mão das férias após quarentena e emendam pré-temporada

A maioria terá apenas alguns dias na semana do Natal para descansar em meio aos treinos físicos, visando o Aberto da Austrália

Avatar

Publicado

em

Bruno Soares
Foto: Cristiano Andujar/ CBT
PUBLICIDADE

Finalizando um ano atípico, em razão da pandemia, os principais tenistas do Brasil vão abrir mão das férias para emendar a temporada 2020 com a pré-temporada para 2021. A maioria terá apenas alguns dias na semana do Natal para descansar em meio aos treinos físicos, visando o Aberto da Austrália, apesar das indefinições quanto ao primeiro Grand Slam do ano.

A decisão por reduzir o período de descanso a poucos dias se deve à pandemia, que paralisou o circuito profissional por quase cinco meses e forçou as férias forçadas a todos, entre março e agosto, quando os torneios foram retomados tanto no masculino quanto no feminino.

O novo coronavírus também afetou o descanso dos atletas ao adiar torneios para o mês de dezembro, algo incomum no circuito. Geralmente o último mês do ano é reservado para férias e, nos dias finais, para a pré-temporada. Na primeira semana de dezembro, por exemplo, tenistas como Thomaz Bellucci, Thiago Wild, João Menezes e Felipe Meligeni ainda estavam na ativa, disputando o Challenger de Campinas.

Tenista brasileiro mais bem-sucedido do ano, Bruno Soares improvisa umas férias durante sua pré-temporada, em um resort na Ilha de Comandatuba, no sul da Bahia. Ele conta com a companhia de Bellucci, Thiago Monteiro, Rogério Dutra Silva e Beatriz Haddad Maia. Ao longo de três semanas, ao grupo treina em preparação para 2021, ao mesmo tempo em que participa de clínicas com hóspedes do hotel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Recuperando-se de lesão, Bia Haddad auxilia como “mentora” de atividades, assim como Teliana Pereira, recém-aposentada. O grupo tem o reforço do ex-duplista André Sá. A ideia é unir o trabalho com um pouco de descanso uma vez que os atletas levarão seus filhos e cônjuges.

Os tenistas mais experientes do Brasil têm também a companhia de juvenis, que integram o Time Guga. “Queríamos fazer um negócio diferente. A ideia era juntar os melhores juvenis do Brasil, de 10 a 18 anos, como os meninos do Time Guga, com os profissionais para treinarem sob o mesmo teto. Ao mesmo tempo, trazer os grandes executivos do País para estarem perto dos tenistas profissionais para ver como é uma pré-temporada dos nossos pupilos”, explica Márcio Torres, empresário de alguns dos principais tenistas do Brasil, ao Estadão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O objetivo desta pré-temporada também é aproximar os atletas de potenciais patrocinadores, principalmente após um ano difícil para os tenistas, que passaram meses sem receber premiações dos torneios devido à pandemia. “O Bruno (Soares) vai levar os filhos, o Rogerinho também. É a oportunidade do cara trabalhar e estar com a família. Vamos juntar o útil ao agradável no mesmo lugar”, diz Torres.

Os irmãos Felipe e Carol Meligeni terão poucos dias de folga também, apenas na semana do Natal. Pela terceira semana seguida, a sobrinha de Fernando Meligeni disputa torneio no Egito. Felipe foi campeão do Challenger de São Paulo e semifinalista em Campinas, nas últimas duas semanas respectivamente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Melhor brasileira da temporada, Luisa Stefani é a exceção entre as tenistas do País. Tirou duas semanas de folga, sendo que uma delas foi em razão de uma operação para remover um dente siso. No masculino, o também duplista Marcelo Melo reservou 14 dias de folga. Mesmo assim, foi menos que os 20 dias que ele costuma tirar de férias geralmente.

INCÓGNITA – A pré-temporada dos brasileiros está sendo diretamente afetada pelas indefinições sobre o Aberto da Austrália. A tendência é que os tenistas façam atividades mais leves por mais tempo porque ainda não sabem quando a temporada 2021 vai começar, novamente devido à pandemia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

O primeiro Grand Slam da temporada está sob grande indefinição. Geralmente disputado entre a metade e o fim do primeiro mês do ano, a competição em Melbourne deve começar somente em 8 de fevereiro, o que deve estender a pré-temporada da elite do tênis mundial. A confirmação da data depende das regras da Austrália quanto à covid-19. O país está com pouquíssimos casos atualmente – foram apenas sete novos nas últimas 24 horas – e tenta manter a situação favorável apesar da iminente entrada de centenas de pessoas no país, entre tenistas, treinadores e jornalistas, nas próximas semanas.

“Não temos nada programado para nossos tenistas ainda. Não sabemos nem se poderemos entrar na Austrália, provavelmente somente na primeira semana de janeiro”, diz Márcio Torres. A previsão inicial era de que os tenistas entrassem na Austrália ainda em dezembro para cumprirem quarentena de 14 dias antes do início da competição. A Federação Australiana de Tênis espera anunciar novidades nos próximos dias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estadão Conteúdo




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade