Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Recordes, índices e emoção de Cesar Cielo no Troféu José Finkel

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O fim de semana foi de recordes, índices e momentos marcantes no Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação, o Troféu José Finkel, disputado em piscina curta, de 25 metros. Vinicius Lanza, Luiz Altamir, Felipe Lima, Guilherme Guido, Etiene Medeiros e Larissa Oliveira obtiveram marcas para o Mundial de Hangzhou, na China. Seis recordes sul-americanos foram quebrados desde sexta-feira (24), primeiro dia de competições. Nos 100m livre, Cesar Cielo voltou a vencer e emocionar a torcida neste domingo (26), no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo. A competição segue com disputas nesta segunda e terça-feiras (27 e 28). Ao todo, são 332 atletas, que representam 40 clubes.

Depois de operar o ombro no início da temporada e sem participar do Troféu Brasil e do Pan-Pacífico, Etiene Medeiros retornou em grande estilo a uma competição nacional. Ela não só venceu os 50m costas, prova em que é bicampeã Mundial, com 25s95, como obteve o índice para o Mundial da China. “Ganhei irmãos nesse processo de cirurgia, recuperação e volta às piscinas. Tem muita gente que participou dessa minha conquista. A piscina curta faz parte do processo para que, no ano que vem, eu esteja melhor e depois, em 2020, chegue ao objetivo final, que são os Jogos Olímpicos de Tóquio”, disse.

Na versão masculina da prova, o dia já havia começado com recorde Sul-Americano. Guilherme Guido estabeleceu a nova marca em piscina de 25m ao completar a prova com 22s75. No período da tarde, o atleta do Pinheiros voltou a encaixar seu nado e confirmou o índice para o Mundial. “Foi um dia muito importante e feliz. Sabia que se encaixasse de manhã, o recorde viria. A tarde também deu certo, consegui fazer o que eu tinha planejado e veio o índice. Estou feliz com isso”, disse Guido.

Cielo emociona

Na prova de mais tradição para o Brasil, um dos maiores nomes da história da natação nacional voltou a brilhar. Cesar Cielo Filho, campeão Mundial e Olímpico, venceu os 100m livre com 46s83 e, em seguida, emocionou a todos os presentes na entrevista .

“Todos já me viram chorando com a medalha olímpica e, hoje, estou chorando de novo aqui no José Finkel, para vocês verem a importância do que é isso para mim. Pode ser meu último Brasileiro. Isso faz a gente pensar em tudo o que passou para chegar aqui e bater na frente. É algo que mexe muito com o atleta. Particularmente, estou muito emocionado com o que aconteceu hoje”, disse o primeiro e até hoje único campeão olímpico do Brasil na natação, feito obtido nos 50m livre nos Jogos de Pequim, em 2008.

Entre as mulheres, Larissa Oliveira fez grande prova e terminou com 52s45, novo recorde Sul-Americano e índice para o Mundial de piscina curta de Hangzhou. “Os 100m livre é uma prova em que me sinto muito bem, mas esse tempo me deixou contente, feliz. A gente não sabe ainda se vai ao Mundial, por conta do índice técnico, mas o fato de ter conquistado o índice me deixa mais perto de conseguir ir a essa competição, tão importante em nosso calendário”, relatou.

Nos 50m peito, Felipe Lima, assim como havia feito nos 100m, brilhou. O atleta do Minas Tênis Clube, desta vez porém, atingiu o índice necessário para ir ao Mundial (26s00). “Estava buscando muito esse índice. A prova é sempre dura. O João (Gomes Júnior) e o Felipe (França) sempre dificultam essa disputa, mas consegui a marca que tanto esperava”, afirmou Felipe.

Na versão feminina da prova, Jhennifer Alves Conceição mais uma vez estabeleceu o novo recorde Sul-Americano da disputa (30s00). “É muito importante. Queria o índice, mas acredito que ainda posso ir pelo índice técnico. Mostrei que posso representar muito bem o Brasil e quero fazer isso”, completou Jhennifer.

Fase de ouro

Vinicius Lanza voltou a mostrar no domingo que vive grande fase dentro das piscinas e obteve o índice nos 200m borboleta e conquistou o ouro na prova (1min51s00). Na mesma disputa, Luiz Altamir também garantiu o índice com o tempo de 1min51s54.

Lanza já havia se destacado de forma significativa no sábado (25.08), na prova dos 200m medley. Ele e Caio Pumputis bateram a marca que precisavam para o Mundial. Lanza venceu com o novo recorde Sul-Americano, com 1m52s16. Caio também conquistou o índice para o Mundial (1m52s26).

“Foi uma prova muito boa mesmo. Devo isso ao Caio também. Se não fosse ele me puxando até o fim, talvez o tempo não fosse tão expressivo. Quem ganha com isso é a natação brasileira que vai estar sempre em alto nível”, disse Lanza.

O resultado da dupla é ainda mais expressivo porque o tempo anterior pertencia a Thiago Pereira, ídolo e referência nacional, com 1min52s30. Thiago é um dos nadadores mais completos da história da modalidade em nosso país. Encerrou a carreira com 23 medalhas em Jogos Pan-Americanos, uma prata olímpica nos 400m medley (prova em que Michael Phelps ficou fora do pódio) nos Jogos de Londres 2012 e pódios e recordes mundiais nos 200m medley.

Fonte: Rededoesporte.gov.br, com informações da Confederação Brasileira de Natação (CBDA)


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade