Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Estreia do Brasília no NBB será no Nilson Nelson

Matheus Garzon
[email protected]

O reencontro do Brasília Basquete com a torcida será no ginásio Nilson Nelson. A confirmação do local do jogo contra o Flamengo, em 15 de outubro, às 20h, na estreia dos candangos no Novo Basquete Brasil (NBB), veio nesta terça-feira (11). Com a escolha, o pequeno ginásio da ASCEB, com capacidade para pouco mais de mil pessoas, dá chance para que cerca de 11 mil pessoas assistam ao clássico.

Essa não é a primeira vez que a mudança ocorre. Em 2007, por exemplo, foi registrado o maior público da história do basquete brasileiro em partidas oficiais, com 24.286 pessoas também para um Brasília x Flamengo.

Bernardo Bessa, coordenador geral da equipe, lembra que o pedido já tinha sido feito à Liga Nacional de Basquete (LNB) dias atrás e agora está tudo acertado. “Conseguimos a confirmação ontem (segunda-feira) e hoje (ontem) já mandamos a documentação que faltava”, disse o cartola.

Com relação à venda de ingressos, Bernardo Bessa ainda não podia dar maiores informações. “Ainda deve demorar mais uns 10 ou 15 dias para começarem a vender os ingressos”, comentou.

Uniforme

Também nesta terça-feira (11), o Brasília anunciou os uniformes que serão utilizados pela equipe durante a temporada 2018/2019 do NBB. São três camisas: uma para jogos em casa, uma para partidas fora e um terceiro uniforme, alternativo.

O primeiro uniforme é predominantemente azul, com detalhes na cor branca. O segundo é o oposto, com o branco sendo predominante. Já o uniforme alternativo terá predominância do preto, com detalhes em azul.

Todos os uniformes terão um skyline na altura do peito, com os principais monumentos da cidade de Brasília.

Apesar de o Brasília já ter anunciado que fechou o elenco para a disputa da temporada, alguns jogadores ainda não se apresentaram ao time. É o caso dos três atletas estrangeiros: o norte-americano Zach Graham, o porto-riquenho Ricky Sánchez e o venezuelano Windi Graterol.

O primeiro ainda não se encontrou com o técnico André Germano por ainda não estar com o visto liberado para atuar no basquete brasileiro. Os outros dois jogadores só vêm para a capital federal depois de cumprirem os compromissos com as suas seleções.

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA