fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Saúde

Diabetes é uma das causas de amputação no Brasil

Aproximadamente, 382 milhões de pessoas no mundo têm diabetes. No Brasil, aproximadamente 55 mil amputações são feitas anualmente

Aline Rocha

Publicado

em

PUBLICIDADE

Aline Rocha
redacao@grupojbr.com

O Diabetes é uma doença que afeta aproximadamente 382 milhões de pessoas em todo o mundo. A estimativa é de que uma em quadra quatro pessoas com a doença possam ter algum problema no pé. A complicação, também denominada de pé diabético, ocorre quando uma área lesionada dos pés desenvolve uma ferida.

A doença é considerada uma epidemia mundial e é um dos fatores que influenciam a perda de uma das partes do corpo. Durante o inverno, o clima frio, seco e a incidência de vaso constrição nos diabéticos favorecem o aparecimento dessas lesões.

“O pé diabético é uma desordem decorrente da Diabete Mellitus e pode ser caracterizada por uma tríade: polineuropatia, deformidade nos pés e trauma”, explica a Dra Patrycia Tavares, pós-graduada em Geriatria. A médica ainda conta que os casos mais avançados da doença podem levar a amputações de membros. No Brasil, 55 mil amputações de membros ocorrem anualmente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os sintomas característicos dessa patologia são: queimação, dormência e às vezes dor nos pés. De acordo com Patrycia, o paciente diabético deve ter um acompanhamento frequente de seu médico que realizará avaliações dos pés para identificar possíveis lesões na pele.

Para quem sofre com essa doença, a doutora salienta que, durante o inverno, devido ao clima seco e o tempo frio, há uma incidência maior de contração dos vasos sanguíneos, também conhecido como vasoconstrição, e com isso aumentar o aparecimento do pé diabético.

Segundo a médica, a prevenção ainda é o melhor caminho para evitar o surgimento do pé diabético. “A Diabetes tipo 2 é uma doença totalmente prevenível e deve ser tratada como um problema de saúde pública, assim evitaríamos complicações como pé diabético entre outras como cegueira e insuficiência renal diabética”.

Na próxima quarta-feira (26) a equipe da Clínica Longevitá abre espaço para debater sobre diabetes e pé diabético, no Mezanino do Edifício Cléo Octávio, na Asa Norte, com a participação de especialistas e outras atividades

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O evento é gratuito e aberto ao público, com início às 17h e término às 20h, no Mezanino do Edifício Cleo Octávio, na Asa Norte. A Dra Patrycia Tavares, especialista em Longevidade Saudável, da Clínica Longevitá, é uma das participantes da conversa, ao lado do Dr Igor e Dra Mônica, da Clínica Prime Vein, e a Dra Tatiana, da Peron Geriatria. A ação também conta com um coffe break para diabéticos, degustação da Nestlé, aferição de pressão e bioimpedância com a Sabin, exames oftalmológicos com a Clínica da Retina e outros parceiros como a Clínica Rio e a MAC Cosméticos.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade