Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Saúde

Capital paulista tem ‘Dia D’ contra a gripe neste sábado

“Equipes de todas as 468 UBSs de referência estarão presentes nas escolas para ajudar na organização e aplicação das doses”

A capital paulista realiza neste sábado, 15, o ‘Dia D’ contra a gripe. A imunização que protege do vírus influenza, causador da doença, será feita das 8h às 17h, exclusivamente em escolas e equipamentos de ensino, que já integram a estrutura da campanha iniciada em 12 de abril, segundo a secretaria municipal de Saúde de São Paulo (SMS).

“Equipes de todas as 468 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de referência estarão presentes nas escolas para ajudar na organização e aplicação das doses. A pasta montou essa rede diferenciada de postos para evitar aglomerações e o conflito com a vacinação contra a covid-19”, disse em nota.

Neste ano, em razão da vacinação contra o novo coronavírus, houve ainda inversão nos grupos que estão sendo vacinados contra a influenza, por isso, a campanha não começou com os idosos acima de 60 anos, mas sim com crianças, gestantes e puérperas (que deram à luz nos últimos 45 anos).

A fase 1 teve início em 12 de abril, sendo direcionada para crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, gestantes e mães de recém-nascidos (puérperas), povos indígenas e trabalhadores da saúde. Na fase 2, iniciada em 11 de maio, começaram a ser vacinados os idosos com 60 anos ou mais e os professores das escolas públicas e privadas.

No primeiro mês de campanha, 622.611 pessoas foram vacinadas e a estimativa é que pelo menos 4,7 milhões de pessoas recebam a vacina até o dia 9 de julho, data prevista para o encerramento da campanha.

Grupos vacinados até o momento (Entram no Dia D):

Crianças entre 6 meses a 6 anos de idade

Gestantes e puérperas

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Povos indígenas

Trabalhadores da saúde

Profissionais da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET)

Idosos com mais de 60 anos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Professores das escolas públicas e privadas

Ainda segundo a pasta, todos os profissionais de saúde que tiverem comprovação de atuação na categoria ou de vínculo empregatício no setor poderão receber o imunizante. Basta apresentar um documento de identificação e do conselho de classe, além da carteira de vacinação e ou Cartão SUS.

Para não misturar com o público que está sendo vacinado nas UBSs contra covid-19, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, a vacinação contra a gripe é feita em escolas e estabelecimentos de educação. Clique aqui para conferir os endereços.

Próximos grupos que serão contemplados com a vacina da gripe a partir de 9 de junho:

Pessoas com comorbidades

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições especiais

Pessoas com deficiência permanente

Forças de segurança e salvamento

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Caminhoneiros

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano de longo curso

Trabalhadores portuários

Funcionários do sistema prisional

Adolescentes de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas

População privada de liberdade

Segundo a secretaria municipal de Saúde de São Paulo, a vacina contra a influenza pode ser aplicada simultaneamente com qualquer outra vacina do Plano Nacional de Imunização (PNI), exceto a vacina contra a covid-19. No momento, a prioridade deve ser dada à vacina contra o novo coronavírus.

Vale lembrar que quem tomou a vacina anticovid deve esperar 14 dias para ser imunizado contra a gripe. Pessoas que foram internadas por causa do novo coronavírus e tiveram alta há menos de 28 dias também devem aguardar para receber a vacina da gripe. Clique aqui para mais informações.

Número de imunizados contra a influenza, segundo o governo de SP

Segundo dados do governo do Estado de São Paulo, a 1ª etapa da vacinação da gripe começou em 12 de abril, totalizando 5,5 milhões de pessoas. Desse total, somente 1,8 milhão aderiram à campanha até o momento, somando 1,2 milhões crianças (36,9% de cobertura vacinal), 144,4 mil gestantes (33%), 420,6 mil profissionais da saúde (27,1%) e 26,7 mil puérperas (37,2%). Também foram vacinados 4,5 mil indígenas (77,6%).

Esses grupos, no entanto, ainda podem comparecer aos postos mesmo com o início da 2ª etapa. Agora, o foco são os idosos (pessoas com 60 anos ou mais) e professores, que somam mais 7,8 milhões de pessoas.

Estadão Conteúdo






Você pode gostar