Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Saúde

Brasil registra 526 mortes pela covid em 24h; média continua abaixo de 400

A média semanal de vítimas ficou em 319, abaixo de 400 pelo quarto dia consecutivo, mantendo-se no patamar de abril do ano passado

O Brasil registrou 526 novas mortes pela covid-19 nesta sexta-feira, 15. A média semanal de vítimas, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, ficou em 319, abaixo de 400 pelo quarto dia consecutivo, mantendo-se no patamar de abril do ano passado.

O número de novas infecções notificadas foi de 14.476, enquanto a média de testes positivos da última semana é de 10.861. No total, o Brasil tem 602.727 mortos e 21.626.028 casos da doença. Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. Segundo os números do governo, 20,77 milhões de pessoas se recuperaram da covid desde o início da pandemia no País.

São Paulo registrou 79 novas vítimas do coronavírus nesta sexta, enquanto o Rio de Janeiro mantém o maior total das últimas 24 horas, com 115 mortes. Alagoas, Roraima e Sergipe não notificaram óbitos no período.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde 8 de junho do ano passado, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

O Ministério da Saúde informou que foram registrados 15.239 novos casos e mais 570 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas No total, segundo a pasta, são 21.627.476 pessoas infectadas e 602.669 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar