Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Saúde

Atividade física desde novinhos

Especialistas explicam a importância do exercício em vários sentidos para crianças e adolescentes

Aumento da imunidade, melhora do condicionamento físico, prevenção e tratamento de doenças, auxílio na perda de peso e melhora da autoestima são apenas alguns dos inúmeros benefícios advindos da prática de atividade física.

Quando iniciada na infância, tal ação tende a proporcionar ainda mais vantagens. Segundo Fabio Lambertucci, coordenador de educação física do Colégio Objetivo DF, muito além dos pontos físicos, a atividade auxilia no desenvolvimento da criança e do adolescente até a sua fase adulta. “Ela é crucial, pois favorece o desenvolvimento motor, ajuda a criança a ter integração social e autoconfiança”, pontua.

Conforme apresenta Lambertucci, é notável em muitos alunos tímidos, por exemplo, uma expressiva melhora das suas capacidades de se soltarem e se expressarem, ao se identificarem com com alguma modalidade. “Isso o fortalece e o ajuda na fase adulta, com mais consciência da importância da atividade física e a ser mais participativo”, defende o profissional. “A Valentina era muito travada, para tudo. Nas apresentações da escola, por exemplo, sempre se escondia e não queria participar. Hoje, ela é outra pessoa”, comenta Nayara Monteiro, mãe da Valentina, de 9 anos. De acordo com a moradora de Planaltin-DF, após colocar a filha nas aulas de ballet, a menina começou a se soltar e querer participar de todos os eventos da escola. “Ela quer sempre estar na frente, ser os personagens principais.. Está toda ‘aparecida'”, brinca Nayara.

Na avaliação da presidente do Sindicato das Academias do Distrito Federal, Thais Yeleni, uma criança que cresce com o hábito do exercício físico consegue, durante toda sua vida, ter uma relação efetiva com o mesmo. “Sendo mais saudável em todos os aspectos, desde os físicos, emocionais, que reverberam no seu comportamento, relacionamentos e produtividade”, esclarece. Dentre as melhoras, a profissional destaca o melhor desenvolvimento motor e cognitivo, aumentando o potencial de desenvolvimento do indivíduo, bem como foco, concentração e consequentemente melhor absorção cognitiva. “O movimento é um princípio básico para um bom desenvolvimento humano.”

Para Lambertucci, a atividade física na escola vai muito além dos exercícios coletivos ;mais famosos’. “Trabalhamos com futebol, handebol, basquete e vôlei, mas a gente também consegue trazer brincadeiras de rua, resgatar brincadeiras antigas, mostrar alguns estilos de lutas e muito mais”, expõe o professor. “Somos fundamentais também para que essa criança cresça com a consciência da importância da prática regular da atividade física, se exercite e seja um adulto saudável”, defende.

Lutando pela essencialidade do setor, Thais Yeleni chama atenção a importância das atividades na luta contra o sedentarismo, condição esta muito comum hoje em dia. “Praticar atividade física vai muito além de um corpo perfeito e sarado e nós lutamos para mostrar isso para a população. Somos parte da solução contra o sedentarismo, doenças evitáveis, como a obesidade e o diabetes e, principalmente hoje, o novo coronavírus.”
É na escola, inclusive, que Fábio afirma ser essencial apresentar o esporte aos alunos.

“A melhor forma de inserir a criança nesse universo, é apresentando os esportes para ela. Dentro das aulas de educação física, tentamos e buscamos fazer isso ao máximo, para que, dentro da escola, ela se interesse por alguma delas. A partir dessa vontade, a própria criança pedirá aos pais para ter aulas por fora”, comenta o professor de educação física.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foi assim que Valentina se apaixonou pela dança. A mãe da jovem bailarina diz que, a partir das aulas de ballet que a instituição de ensino da filha oferecia uma vez por semana, a própria menina pediu para fazer aulas mais vezes. “Toda quarta-feira ela ia extremamente contente para a escola porque era o dia do ballet. Ela já acordava ansiosa, perguntava ‘mãe, hoje é o dia do ballet né?’, e arrumava a própria roupa”, relembra Nayara. Após perceber a paixão da filha, ela buscou uma escola específica desse estilo de dança, espaço esse onde a filha permanece até hoje. “Ela entrou aos 5 anos e nunca pediu para sair, muito pelo contrário, ela só fica cada vez mais entusiasmada com as aulas”, compartilha a autônoma.

Segundo elucida Lambertucci, atividades como a praticada por Valentina é uma das mais recomendadas nessa fase da vida. “Nessa fase, as atividades mais recomendadas são as que trabalham psicomotricidade. Dentro dela, são trabalhadas várias habilidades como coordenação motora, equilíbrio, lateralidade, fase temporal, etc”, aclara. Ao contemplarem a rotina dessas crianças, o profissional garante que os benefícios a longo prazo poderão ser notados. “Mas, para isso, o apoio dos pais é essencial, para que esse exercício se torne constante”, complementa. Atualmente existem dois Projetos de Lei em tramitação para a essencialidade da atividade para população no DF. “É muito importante que as pessoas entendam os ganhos da atividade, na infância e adolescência”, salienta Thais.








Você pode gostar