Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Tarcísio terá programa econômico alinhado ao de Guedes, diz coordenador

Ex-assessor especial do ministério, o economista Samuel Kinoshita será o responsável pelo capítulo econômico do programa de governo

Por FolhaPress 17/05/2022 6h57
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Fábio Zanini

Pré-candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) aposta no alinhamento total às diretrizes liberais do Ministério da Economia para sua campanha.

Ex-assessor especial do ministério, o economista Samuel Kinoshita será o responsável pelo capítulo econômico do programa de governo, indicado pelo próprio Guedes. Trabalhará sob a coordenação geral de Guilherme Afif Domingos, outro ex-assessor da pasta. “É importante haver uma ligação forte com a política econômica do presidente Bolsonaro. Até porque o desalinhamento de São Paulo com o Brasil traz muitos prejuízos para todos”, diz Afif.

Dois outros nomes da equipe de programa de governo já foram definidos: ex-secretário da Agricultura de José Serra (PSDB), João Sampaio cuidará das propostas para o setor.

Já a Saúde, setor especialmente sensível por causa da pandemia, ficará sob a responsabilidade de Eleuses Paiva, ex-presidente da Associação Médica Brasileira e atual deputado federal (PSD-SP).

No caso de Paiva, no entanto, há diferenças importantes com relação à política do governo Bolsonaro para o combate à Covid. Ele é defensor de distanciamento social e uso de máscaras, além de fortemente pró-vacina.

Outros coordenadores setoriais de áreas importantes, como segurança pública, ainda estão sendo definidos. A ideia é que em junho Tarcísio percorra as regiões do estado para recolher subsídios para o programa de governo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo Afif, outro eixo da candidatura será a infraestrutura, aproveitando o fato de Tarcísio ter sido responsável pela área no governo Bolsonaro. “O Tarcísio é um tocador de obras, especialmente das que estavam paradas”, afirma. Diversos projetos que empacaram na atual gestão, ou não saíram do papel terão destaque especial, caso do trem intercidades que vai de Santos a Americana e outra linha que iria de Sorocaba a Taubaté. “São Paulo tem totais condições de ser um hub de desenvolvimento da América do Sul”, afirma Afif.








Você pode gostar