Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

“Sistema já trabalhava no limite”, afirma Teich

Teich explicou que hoje 165 milhões de pessoas dependem exclusivamente do SUS, onde, para cada, são gastos em torno R$ 2.000 por ano

Por Geovanna Bispo 05/05/2021 4h02
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Durante depoimento do ex-ministro Nelson Teich a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, ele afirmou que antes mesmo da chegada da Covid no Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) já trabalhava no limite. “Para ele poder se adaptar rapidamente a covid, ele teve que sacrificar as outras doenças.”

Teich explicou que hoje 165 milhões de pessoas dependem exclusivamente do SUS, onde, para cada, são gastos em torno R$ 2.000 por ano, enquanto nos Estados Unidos e Reino Unido são R$ 20 mil.

Teich ainda falou sobre os problemas de se depender em grande medida de países como China e Índia para o fornecimento de vacinas, insumos e equipamentos. “Se nós tivermos um problema nesses países, o impacto mundial que nós teremos é enorme, porque eles vão se proteger acima de tudo.”

Bate-boca

Antes da fala de Teich, houve bate-boca sobre o tratamento precoce, onde o senador Luis Carlos Heinze, que é engenheiro agrônomo, defendeu a utilização da Hidroxicloroquina para o tratamento da covid-19. Em resposta, o senador e médico Otto Alencar afirmou que “tomar um copo de água é a mesma coisa que tomar hidroxicloroquina”. “Não adianta de nada um charlatão indicar hidroxicloroquina para um paciente, ele melhorar e falar que foi a cloroquina.”

Mais cedo, o presidente da CPI, o senador Omar Aziz (PSD-AM), suspendeu por alguns minutos a sessão após bate-boca generalizado entre os senadores. A discussão começou quando a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) iria ter a palavra e o senador Ciro Nogueira (PP-PI) a interrompeu.






Você pode gostar