Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Queiroga erra sobre quantidade de vacinados no Brasil

Ministro disse que quantidade de pessoas que já receberam a segunda dose de vacina contra a covid é de 18%; dados mostram número bem abaixo

Por Willian Matos 03/05/2021 10h58
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se equivocou nesta segunda-feira (3) ao falar a porcentagem de pessoas que já receberam a segunda dose de vacina contra a covid-19. Queiroga disse que cerca de 18% da população já estaria imunizada. O número, porém, é bem menor.

“Hoje já temos imunizados, com as duas doses, cerca de 18% da população brasileira. Isso é um dado importante”, afirmou Queiroga. Os dados do consórcio de veículos de imprensa, no entanto, mostram que apenas 7,49% dos brasileiros já receberam a segunda dose.

Até o último domingo (2), 31.875.681 pessoas haviam recebido a primeira dose, o equivalente a 15,05% da população total. Quanto à segunda dose, 15.869.985 já receberam, número que representa 7,49% da população.

As declarações foram dadas durante evento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta manhã.

Queiroga também falou sobre a compra de vacinas da Pfizer, oriundas do consórcio Covax Facility. O ministro prometeu que “o Brasil terá à disposição da sua sociedade 200 milhões de doses da vacina Pfizer” e disse que “isso equivale a imunizar cerca da metade da sua população ainda esse ano”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Doses começam a ser distribuídas

O Brasil recebeu, na última quinta-feira (29), 1 milhão de doses da vacina da Pfizer. Cerca de 500 mil começam a ser distribuídas para as capitais de 26 estados e para o Distrito Federal nesta segunda (3).

As primeiras 500 mil doses deverão ser aplicadas em pessoas que ainda esperam pela primeira dose, recomendou o Ministério da Saúde. O objetivo é contemplar pessoas com comorbidades, gestantes e mulheres que deram à luz recentemente, bem como outros grupos que os estados e o DF vêm priorizando.

A logística de distribuição das vacinas da Pfizer foi montada levando em conta as suas condições de armazenamento, que possuem particularidades dos demais insumos adquiridos e distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, as doses estão armazenadas a uma temperatura de -90°C a -60°C. Ao serem enviados aos estados, os imunizantes estarão expostos a temperatura de -20°C. Nas salas de vacinação, onde a refrigeração é de +2 a +8°C, as doses precisam ser aplicadas em até cinco dias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar