Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Epidemiologista afirma que 400 mil mortes por covid no Brasil poderiam ter sido evitadas

De acordo com levantamento apresentado à CPI da Pandemia, 4 entre 5 óbitos causadas pela doença no Brasil ocorreram em excesso

Por Willian Matos 24/06/2021 11h50
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O epidemiologista Pedro Hallal apresentou, nesta quinta-feira (24), à CPI da Pandemia, um estudo sobre as mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil. De acordo com o levantamento, 4 entre 5 óbitos no país ocorreram em excesso. Isto é, das mais de 500 mil vidas perdidas, 400 mil poderiam ter sido salvas.

O estudo leva em conta principalmente a negativa do governo para a compra antecipada de vacinas Coronavac e Pfizer. Como disse anteriormente o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, o Executivo dispensou 45 milhões de vacinas que estariam disponíveis ao Brasil ainda em 2020.

Hallal ressalta, no entanto, que outros meios também seriam importantes para evitar as 400 mil mortes. Dentre as medidas que deveriam ter sido tomadas, estão isolamento social, real notificação de casos de covid-19, rastreamento de pacientes infectados e uso correto de máscaras.






Você pode gostar