Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

‘Engraçado; maconha pode, cloroquina não pode’, diz Bolsonaro sobre projeto na Câmara

“Isso é com o Parlamento. Se chegar a mim, eu veto”, disse Bolsonaro ao ser questionado por um apoiador

Foto: Reprodução/YouTube

Daniel Carvalho
Brasília, DF

O presidente Jair Bolsonaro comparou nesta segunda-feira (17) maconha à cloroquina ao dizer a apoiadores que ele barraria um projeto que libera o cultivo de maconha por empresas para fabricação de medicamentos caso seja aprovado.

“Isso é com o Parlamento. Se chegar a mim, eu veto”, disse Bolsonaro ao ser questionado por um apoiador no cercado armado no jardim do Palácio da Alvorada. A interação foi transmitida por um canal bolsonarista.

Bolsonaro, então, fez, em tom de ironia, a comparação entre a maconha medicinal e a cloroquina, remédio que, assim como a hidroxicloroquina e a ivermectina, não tem comprovação científica de que funciona para tratar ou prevenir a Covid-19.

“Engraçado, maconha pode, cloroquina não pode”, afirmou Bolsonaro, para quem “a esquerda sempre paga uma oportunidade para querer liberar as drogas”.

Uma apoiadora fala da ivermectina, ironizando que o medicamento faz mal. “Maconha e cocaína faz [sic] bem, sem problema”, disse Bolsonaro, novamente em tom irônico.

O presidente tem feito críticas reiteradas ao projeto de lei nº 399, de 215, que tramita em uma comissão especial na Câmara.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Hoje, uma comissão da Câmara vota a liberação da maconha. Tem o veto depois, é difícil. Eles agora podem até aprovar, sem ser o voto nominal, mas tem o veto”, afirmou Bolsonaro, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada no dia 11 de maio. “Ridículo até né, um país com tantos problemas [e] o ‘cara’ despendendo força para votar uma porcaria de um projeto desse.”

A proposta permite atividades de cultivo, processamento, pesquisa, armazenagem, transporte, produção, industrialização, manipulação, comercialização, importação e exportação de produtos à base de Cannabis.
O texto, porém, diz expressamente que “é vedada a prescrição, a dispensação, a entrega, a distribuição e a comercialização para pessoas físicas, de chás medicinais ou de quaisquer produtos de cannabis sob a forma de droga vegetal da planta, suas partes ou sementes, mesmo após processo de estabilização e secagem”.

As informações são da FolhaPress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar