Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Em entrevista, Izalci diz “sonhar” com Paula Belmonte como vice na chapa

Candidato pelo PSDB/Cidadania não descarta corrida ao Buriti em parceria com a deputada

O candidato ao governo do Distrito Federal oficializado pela federação entre Cidadania e Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Izalci Lucas, declarou que “não descarta nenhuma possibilidade” de vice-candidatos com ele na corrida eleitoral ao Buriti. Em coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira (5), o senador não desconsidera colocar a colega de federação, Paula Belmonte, na vaga ainda em aberto.

“Ainda temos um tempo para conversar sobre isso. De fato ela é uma boa parlamentar e é bem intencionada, o que nos interessa. Agora, precisamos entender que para governar, assim como qualquer empresa pequena, se não houver um bom gerente, ela quebra. Imagine uma grande cidade como Brasília governada por qualquer um de qualquer jeito. […] Não descarto nenhuma aliança com pessoas do bem”, afirmou o candidato.

Segundo Izalci, as questões partidárias entre ele e Paula, que causaram desconforto recentemente quanto à candidatura ao Buriti, foram resolvidas nesta manhã com a convenção da federação Cidadania-PSDB, e ainda com apoio da liderança nacional dos partidos. “Hoje de manhã foi consolidado tudo aquilo que já estava estabelecido na última reunião, com meu nome. Eu sou candidato ao governo com respaldo da Federação”, ressaltou.

Em relação à Paula, Izalci assumiu postura apaziguadora e destacou que possui “o maior carinho” e admiração com a deputada federal, que segundo ele faz bom mandato. Entretanto, quanto ao pleito pelo Executivo local, não há flexibilidade. “Não tem possibilidade de dois candidatos, mas há uma série de outros cargos, então não está fechada nenhuma porta. […] Eu não posso abrir mão da responsabilidade da governança”, reafirmou.

Os próximos passos, de acordo com o Senador, serão de buscar entendimentos sobre novas possibilidades de candidatura, uma vez que a federação tem até o dia 15 temos a possibilidade de fazer mudanças, antes do início da campanha eleitoral de fato começar.

O foco agora está, portanto, em conseguir apoio político. “Queremos compor com pessoas e com partidos que tenham compromisso com as pessoas, com o DF. Não é questão partidária. Não estou preocupado com números de partidos. Queremos realmente fazer uma frente ampla em defesa das pessoas do DF”, disse.

Depois da decisão nesta manhã, o candidato afirmou que a vaga para vice-governador está aberta para outras siglas. “Temos conversado com alguns partidos que têm interesse, mas ainda estamos conversando. […] Não é questão de espaço no governo – isso não me preocupa –, quero uma frente que esteja disposta a acabar com os interesses escusos presentes no DF.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar