Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Daniella Marques toma posse como presidente da Caixa

A posse se deu em reunião extraordinária do conselho de administração do banco, após aprovação de seu nome pelo comitê de elegibilidade da instituição

Por FolhaPress 01/07/2022 9h57
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Idiana Tomazelli
Brasília, DF

A economista Daniella Marques foi empossada na noite desta sexta-feira (1º) como nova presidente da Caixa Econômica Federal.

A posse se deu em reunião extraordinária do conselho de administração do banco, após aprovação de seu nome pelo comitê de elegibilidade da instituição.

Marques foi indicada para ocupar o lugar de Pedro Guimarães, que deixou o cargo após acusações de assédio sexual. Ela foi nomeada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) na quarta-feira (29), após a renúncia do agora ex-presidente.

A nova presidente da Caixa quer criar um comitê de crise para apurar os episódios narrados pelas vítimas e identificar outros possíveis envolvidos.

Marques é a pessoa de maior confiança do ministro Paulo Guedes (Economia), com quem já trabalhava no mercado financeiro antes de integrar o atual governo.

Os dois embarcaram juntos no projeto de Bolsonaro ainda durante a campanha, em 2018, e assumiram cargos já no primeiro dia da atual administração.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As acusações de assédio sexual contra Guimarães foram reveladas na terça-feira (28) pelo portal Metrópoles, que relatou também a existência de uma investigação no Ministério Público Federal.

As mulheres narraram episódios como toques íntimos sem consentimento, convites incompatíveis com o ambiente profissional e outras condutas inapropriadas.

Na quinta-feira (30), o conselho já havia decidido contratar uma auditoria externa para apurar as denúncias de assédio sexual e rastrear outros membros da cúpula que acobertaram a situação.

A decisão de contratar uma empresa terceirizada para conduzir a apuração foi tomada após os relatos das mulheres vítimas de assédio indicarem que os episódios eram conhecidos por ao menos parte da diretoria e dos vice-presidentes da Caixa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A avaliação do colegiado é que deixar a investigação nas mãos das instâncias internas de controle não é a melhor saída para obter um diagnóstico independente, dada a suspeita de envolvimento de outros integrantes da cúpula da instituição.

O conselho também foi comunicado da renúncia do vice-presidente de Negócios de Atacado da Caixa, Celso Leonardo Barbosa.

Na manhã desta sexta-feira (1º), o vice-presidente foi comunicado pelo presidente do conselho de administração, Rogerio Rodrigues Bimbi, de que precisaria deixar o cargo. Horas depois, Barbosa reuniu sua equipe para anunciar o fato.

O conselho chegou a analisar destitui-lo de forma imediata ou afastá-lo por prazo determinado até a obtenção de novas informações, mas o executivo acabou optando por renunciar ao cargo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A suspeita de pessoas ligadas ao banco é de que Barbosa pode ter ajudado a acobertar a situação. Ele era tido como o número dois de Guimarães e o substituía com frequência no comando da instituição.

Também era um aliado próximo e fiel ao agora ex-presidente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE







Você pode gostar