Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

CPI recebe ministro da CGU, Wagner Rosário

Depoimento deve ser tenso, uma vez que Rosário e Omar Aziz andaram trocando farpas nas redes sociais recentemente

Por Willian Matos 21/09/2021 7h39
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A CPI da Pandemia recebe nesta terça-feira (21) o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário. O depoimento está marcado para às 9h30 e deve ser tenso, visto que Rosário e o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), andaram trocando farpas.

A convocação de Rosário era um pedido antigo do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), que quer obter mais informações sobre supostos desvios de recursos liberados pelo governo federal para estados e municípios. O ministro deve responder perguntas sobre isso, mas também vai ser sabatinado sobre suspeita de omissão diante de negociações fraudulentas do Ministério da Saúde.

Omar Aziz chegou a chamá-lo de “cara-de-pau” em sessão na semana passada. “Levei a ele uma denuncia, ele não apurou, se omitiu, me liga depois para dizer que não pode? Por que ele não fez nada contra o Roberto Dias?”, pontuou. Roberto Dias é o ex-ministro de Logística do Ministério, acusado de pedir propina para comprar vacinas.

O relator Renan Calheiros (MDB-AL) disse que Rosário “tinha tinha as informações em setembro, agosto” e não agiu a respeito. “Roberto Dias só foi exonerado depois que veio aqui”, declarou o senador.

Wagner Rosário usou uma rede social para responder ao presidente da CPI. O ministro acusou o presidente da CPI de cometer o crime de calúnia. “Senador Omar Aziz, calúnia é crime!!! A autoridade antecipar atribuição de culpa, antes de concluídas as apurações e formalizada a acusação também é crime!!! Aguardando ansiosamente sua convocação”, escreveu. O presidente da CPI usou a mesma rede social para rebater: “Prevaricação também é crime.”








Você pode gostar