Política & Poder

Congresso Nacional instaura a CPI dos Sanguessugas

Por Arquivo Geral 14/06/2006 12h00

O presidente do Senado, and see Renan Calheiros (PMDB-AL), for sale formalizou hoje a criação da chamada CPI Mista dos Sanguessugas ao ler, visit this durante sessão do Congresso Nacional, o requerimento que determina a instauração da investigação sobre o suposto envolvimento de parlamentares em desvios de recursos da saúde por meio da compra de ambulâncias.

O senador abriu prazo às lideranças partidárias para que indiquem os integrantes da comissão até a próxima terça-feira, dia 20. Caso eles não o façam, caberá a Renan indicar os componentes da CPI, conforme reza o Regimento Comum da Câmara e do Senado.

"Eu vou fazer a minha parte. Se os líderes não indicarem (os integrantes) eu vou indicar", prometeu o senador.

Após esse passo, a CPI dos Sanguessugas só estará definitivamente estabelecida com a eleição do presidente, vice-presidente e relator, o que poderá acontecer na próxima semana.

Segundo acordo de líderes que propiciou a instauração da investigação, a CPI terá 30 dias para apresentar seu relatório final. Esse prazo poderá ser prorrogado pelo mesmo período, caso seus componentes entendam haver necessidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Dada a singularidade deste ano, espero que a CPI seja concluída em 30 dias", ponderou o deputado Raul Jungmann (PPS-PE), um dos autores do requerimento de criação da CPI.

De acordo com Renan, respeitando a rotatividade do comando de CPIs mistas, a presidência da comissão deverá ser exercida por um deputado e a relatoria, por um senador. A última CPI Mista instaurada, a do Mensalão, foi presidida pelo senador Amir Lando (PMDB-RO) e relatada pelo deputado Ibrahin Abi-Ackel (PP-MG).

As duas maiores bancadas do Congresso, PMDB e PT, já iniciaram as articulações para assumir a presidência e a relatoria da CPI.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A suspeita sobre parlamentares surgiu a partir da deflagração da Operação Sanguessuga da Polícia Federal, que detectou a movimentação de uma quadrilha especializada em fraudar processos de compras de ambulâncias para municípios de diversos estados.

Durante a investigação foram citados os nomes de 61 deputados e um senador que teriam algum tipo de envolvimento nos crimes apurados. Os congressistas teriam beneficiado a quadrilha ao apresentar emendas ao Orçamento da União para a liberação de verbas para a compra dos equipamentos.

Com base nesse levantamento, o procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para instaurar inquérito contra 15 parlamentares. A autorização foi dada pela corte e as investigações foram encaminha das à PF.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar