Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Comissão retira da pauta análise de estudo contra o uso de cloroquina; Randolfe diz que Bolsonaro interviu

Vice-presidente disse que Bolsonaro se reuniu com Pazuello e General Ramos para ordenar que Queiroga retirasse o estudo da pauta

Por Willian Matos 07/10/2021 11h29
Foto: Agência Senado

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec/SUS), órgão consultivo do Ministério da Saúde, retirou da pauta desta quinta-feira (7) a análise de um estudo de especialistas contra o uso de cloroquina contra a covid-19. Para o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Pandemia, a medida ocorreu a mando do presidente Jair Bolsonaro.

“Isso seria votado agora pela Conitec. O senhor presidente da República se reuniu anteontem com o Pazuello [Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde] e o general Ramos [Luiz Eduardo Ramos, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República] e mandou a ordem para o Marcelo Queiroga: ‘Tira da pauta, não vota'”, declarou Randolfe Rodrigues.

Para o senador, a alteração na pauta obriga a CPI a convocar, pela terceira vez, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. “Eu não tenho conhecimento de intervenção tão absurda em uma decisão técnica no âmbito do Ministério da Saúde quanto essa. Então, reitero, se ainda não tem requerimento de convocação de Queiroga, votemos hoje”, disse.

Randolfe avalia ser ‘inevitável’ ouvir Queiroga na semana que vem. “Eu creio que não podemos terminar esta comissão diante destes notórios e graves acontecimentos. A CPI vai acabar daqui duas semanas e o povo vai ficar à mercê novamente.”

O vice-presidente da CPI diz ainda que o governo federal só agiu em prol da vacinação depois do início da comissão, e que, com o fim dos trabalhos, as medidas vão deixar de seguidas. “Agora, simplesmente, estão querendo voltar ao status anterior, e nós teremos um novo ano e a eficácia das vacinas têm duração. Precisamos de programação de vacinação. Ou a gente toma essa providência, ou, no ano que vem, vai ter programação nacional de imunização com cloroquina ao invés de vacina”, disparou.








Você pode gostar