Política & Poder

Bolsonaro trata sobre compra de vacinas da Sputnik com Putin

Entre os assuntos abordados, os chefes de Estado discutiram a respeito da aquisição e fabricação da vacina Sputnik no Brasil

Foto: Marcos Correa/ PR

Em telefonema, os Presidentes do Brasil e Rússia ultimam a aquisição da vacina Sputniknesta terça-feira (6). Durante a conversa, Jair Bolsonaro (sem partido) esteve acompanhado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e do Diretor-Presidente da Anvisa, Antonio Barra.

Entre os assuntos abordados, os chefes de Estado discutiram a respeito da aquisição e fabricação da vacina Sputnik no Brasil, o comércio entre os dois países, a cooperação na indústria de defesa, ciência e tecnologia.

“Esperamos inclusive que, caso aprovada a vacina Sputnik, nós viemos a produzi-la no Brasil”, disse o presidente brasileiro durante o encontro.

A solicitação de utilização emergencial do medicamento foi pedido pela União Química, em 26 de março. A empresa possui uma parceria com o Fundo de Investimento Direto da Rússia.

Presente na reunião, o chefe da Saúde frisou que a aplicação das doses começará ser feita logo após a regulamentação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Assim que houver uma superação nas questões regulatórias, estaremos aplicando a vacina aqui no Brasil”, disse Marcelo Queiroga.

Jair Bolsonaro ainda teria enfatizado a necessidade de que mais frigoríficos brasileiros sejam liberados para que possam realizar a exportação de carne para a Rússia.

Além disso, o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se encontrou com o embaixador da Russia no Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confira o vídeo abaixo:

Posse ministerial

Na manhã desta terça-feira (6), Bolsonaro participou da cerimônia de posse dos seis novos ministros do governo federal. A partir de agora, o Ministério da Casa Civil, Ministério Justiça e Segurança Pública, Ministério da Defesa, Ministério das Relações Exteriores, Secretaria de Governo e a Advocacia-Geral da União serão comandadas por Eduardo Ramos, Anderson Gustavo Torres, Walter Braga Netto, Carlos Alberto França, Flávia Arruda e André Mendonça, respectivamente.

Durante a cerimônia, o presidente da república destacou que o novo ministro da Justiça, Anderson Gustavo Torres, terá autonomia para comandar “sua própria Polícia Federal”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Não é fácil e não é um Ministério complicado, mas é um ministério que tem muita responsabilidade. Abaixo de você, ali, diretamente subordinada entre outras, né, a sua própria Polícia Federal”, frisou Bolsonaro.






Você pode gostar