Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Bolsonaro ‘mita’ nas redes sociais mas aprovação segue em baixa

Na plataforma de vídeos, o Youtube, Bolsonaro tem 3.250.000. No mês de fevereiro, houve um crescimento de 30.000 inscrições na página

Por Guilherme Gomes 03/03/2021 4h04
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Muito ativo nas redes sociais, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), coleciona posts e muito engajamento com seus seguidores. De acordo com um estudo da Monitora BR, o Facebook, Instagram e Youtube do chefe do executivo seguiu com a mesma margem de seguidores, curtidas e engajamento no mês de fevereiro.

No Facebook, o perfil de Bolsonaro tem 10.871.505 curtidas (3.979 a menos quando comparado com janeiro), 80 posts e mais de 14 milhões de interações.

No Instagram, rede social mais ativa do presidente, Bolsonaro ganhou 65.782 novos seguidores no mês e alcançou a marca de 18.169.401. Com somente 40 posts, o perfil coleciona quase 10 milhões de interações, 9.565.482 curtidas e 391.271 comentários.

Na plataforma de vídeos, o Youtube, Bolsonaro tem 3.250.000 inscritos. No mês de fevereiro, houve um crescimento de 30.000 inscrições na página. O vídeo com maior visualização é de um entrevista para o Datena realizada no dia 08/02 e conta com 300 mil visualizações.

Pesquisa de opinião

A Paraná Pesquisas desenvolveu uma pesquisa de opinião para avaliar a Aprovação da administração do Presidente Jair Bolsonaro até março deste ano. Para a realização do estudo, foi utilizada uma amostra de 2080 eleitores, sendo esta estratificada segundo sexo, faixa etária, grau de escolaridade, nível econômico e posição geográfica.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O trabalho de levantamento dos dados foi feito através de entrevistas pessoais telefônicas, com eleitores com 16 anos ou mais, em 26 Estados e Distrito Federal e em 196 municípios brasileiros durante os dias 25 de fevereiro a 01 de março de 2021.

Após as entrevistas, foi constado que 49% dos eleitores desaprovam a atuação de Bolsonaro na presidência e 46,3% aprovam a conduta do chefe do executivo. 4,6% dos participantes não souberam opinar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar