Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Tëmpestade de areia ‘devora’ cidade chinesa à beira do deserto de Gobi

Dunhuang, um lugar turístico com uma interessante história como um entreposto da Rota da Seda, desapareceu momentaneamente, devorada por uma nuvem de poeira e areia na esteira de uma tempestade no domingo (25)

Um impressionante “muro” de areia de 100 metros de altura envolveu uma cidade à beira do deserto de Gobi, no noroeste da China, com imagens que pareciam tiradas de um filme-catástrofe.

Dunhuang, um lugar turístico com uma interessante história como um entreposto da Rota da Seda, desapareceu momentaneamente, devorada por uma nuvem de poeira e areia na esteira de uma tempestade no domingo (25).

Um morador identificado como Zhang disse ao veículo local Jimu News que a tempestade de areia chegou de repente e atravessou a cidade em cinco ou seis minutos.

“Eu não conseguia ver o sol”, disse ele, acrescentando que a cidade, situada na província de Gansu, não sofria uma tempestade de areia tão forte há vários anos.

“No início, fui envolvido pela poeira amarela da tempestade, depois ficou vermelha e finalmente preta”, completou.

Dunhuang tem várias atrações turísticas, incluindo as Cavernas de Mogao. Este conjunto de templos budistas é decorado com pinturas murais e tem várias esculturas, declaradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 1987.

Tempestades de areia são comuns na região do deserto de Gobi na primavera, mas é raro acontecerem no verão, de acordo com a agência de notícias estatal China News Service.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

© Agence France-Presse






Você pode gostar