Mundo

Saddam faz greve de fome em protesto por morte de advogado

Por Arquivo Geral 22/06/2006 12h00

O ex-presidente iraquiano Saddam Hussein entrou em greve de fome em protesto contra o assassinato de um dos principais advogados de sua equipe de defesa, help doctor disseram hoje as Forças Armadas dos Estados Unidos. Além disso, a defesa está analisando a possibilidade de boicotar o julgamento.

Um porta-voz militar dos EUA para operações com detentos disse que Saddam deu início à greve de fome depois de tomar o café da manhã de hoje, na prisão. Segundo a fonte, assessores de Saddam que estão na mesma prisão já haviam recusado refeições ontem à noite.

"Saddam Hussein recusou sua refeição do meio-dia hoje", disse ele à Reuters. "Eles estão em boas condições de saúde e recebendo o atendimento médico adequado."

Não é a primeira vez que Saddam, de 69 anos, entra em greve de fome desde o início de seu julgamento por crimes contra a humanidade, em outubro. Ele é acusado, nesse júri, pelo assassinato de 148 xiitas em Dujail.

O advogado que lidera a defesa, Khalil al-Dulaimi, que já responsabilizou milícias xiitas pró-governo pelo assassinato do advogado Khamis al-Obaidi, ontem, afirmou que a equipe de defesa pode boicotar a próxima sessão do tribunal, prevista para o dia 10 de julho. Nessa sessão, a defesa apresentaria sua argumentação final.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Estamos deliberando sobre que posição assumir no julgamento", disse Dulaimi na Jordânia.

O assassinato de Obaidi – o terceiro advogado de defesa a ser morto em oito meses – foi mais um revés para o tribunal, que está julgando Saddam e outros sete assessores.
Dulaimi afirmou que 20 atiradores com uniformes do Ministério do Interior explodiram o portão da casa de Obaidi e invadiram a residência.

O advogado, que estava dormindo na hora da invasão, de acordo com Dulaimi, acordou e pegou um fuzil AK-47. Como os invasores tomaram sua mulher como refém, o advogado entregou a arma. Foi então levado pelos atiradores em veículos civis. Dulaimi disse ter obtido o relato da viúva do advogado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Testemunhas disseram que os atiradores despejaram o corpo numa área xiita de Bagdá, mas Dulaimi afirmou que Obaidi foi torturado e teve o corpo pendurado num poste.

Autoridades judiciais disseram hoje que esperam dar início, em agosto, a um outro julgamento contra Saddam, desta vez por genocídio contra os curdos no final da década de 1980. Os curdos e os xiitas foram as maiores vítimas do regime de Saddam.

Fontes norte-americanas ligadas ao tribunal afirmam esperar um veredicto sobre o caso de Dujail até meados de setembro. Saddam pode ser condenado à pena de morte, mas a execução poderia ser adiada por recursos e por outros julgamentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar