Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Por causa da vacina, cresce tensão entre Trump e governador da Flórida

Trump, cuja base de apoiadores é composta por muitos grupos antivacina, divulgou recentemente ter recebido a dose de reforço

Por FolhaPress 18/01/2022 5h53
Foto: Reuters

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump vem se desentendendo com seu colega do partido Republicano e governador da Flórida, Ron DeSantis. Segundo o jornal The New York Times, o motivo mais recente da tensão entre os dois foi a vacinação contra a covid-19.

Trump, cuja base de apoiadores é composta por muitos grupos antivacina, divulgou recentemente ter recebido a dose de reforço do imunizante contra a covid-19. Por outro lado, DeSantis se nega a compartilhar seu histórico de vacinação.

Recentemente, o ex-presidente alfinetou DeSantis ao mencionar políticos “sem coragem” que têm medo de perder o apoio dos grupos antivacina. O governador, por sua vez, criticou Trump pela forma como ele lidou com a pandemia e disse que se arrepende de não ter sido mais incisivo em suas críticas.

Em entrevista à rede de TV OAN, Trump falou: “eu tomei a vacina e a dose de reforço. Eu ouço as entrevistas de alguns políticos em que eles são perguntados se tomaram o reforço e ficam ‘é, é’. A resposta é sim, mas eles não querem dizer porque eles são covardes”.

Enquanto estava no comando dos Estados Unidos, Donald Trump investiu mais de US$ 10 bilhões em pesquisas para o desenvolvimento de vacinas contra a covid-19. Por outro lado, ele se recusou a tomar a vacina publicamente e demorou meses para admitir que tinha recebido o imunizante. Além disso, ele usou suas redes sociais para disseminar desinformação sobre as vacinas e era considerado por muitos analistas como o maior influenciador antivacina.

Não é de hoje essa tensão que se acentua por causa da vacina. Segundo o jornal americano, enquanto Trump costuma dizer que “colocou DeSantis no mapa”, o governador evita garantir o apoio a Trump nas eleições presidenciais de 2024, quando ele deve tentar voltar ao poder.

Como pano de fundo desta briga ainda estão as eleições legislativas de meio de mandato que acontecem esse ano. Apesar de nenhum dos dois disputar um cargo neste pleito, eles tentam mostrar força. De acordo com The New York Times, o ex-presidente quer que os republicanos demonstrem que o apoiam sem questionar, enquanto DeSantis afirma que isso é “pedir muito”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O jornal ainda diz que outros nomes do partido tentam apaziguar o desentendimento. Brian Ballard, um lobista que atua na Flórida e tem conexões com os dois homens, afirma que eles são os líderes mais importantes do partido Republicano e que serão “amigos pessoais e profissionais para o resto de suas carreiras”.








Você pode gostar