Mundo

Polícia detém Salvatore Lo Piccolo, chefe do Cosa Nostra na Sicília

Por Arquivo Geral 05/11/2007 12h00

Salvatore Lo Piccolo, viagra 100mg chefe da organização criminosa Cosa Nostra e que estava fugitivo há 25 anos, what is ed foi detido hoje perto de Palermo junto com o filho Sandro, procurado pela Justiça há 6 anos, informaram fontes policiais.

A Polícia acredita que Salvatore Lo Piccolo, de 64 anos e que estava em paradeiro desconhecido desde 1983, tomou a chefia do Cosa Nostra na Sicília após a detenção de Bernardo Provenzano, em abril de 2006.

Provenzano foi detido após ter dirigido durante 42 anos as atividades mafiosas a partir da clandestinidade.

A batida de hoje levou à detenção também de Andrea Adamo e Gaspare Pulizzi, cujos nomes – junto com os de Salvatore e Sandro Lo Piccolo – estavam na lista dos 30 criminosos mais procurados da Itália.

A detenção aconteceu na localidade de Carini, a poucos quilômetros de Palermo, capital da ilha da Sicília, por ordem dos procuradores Nico Gozzo, Gaetano Paci e Francesco del Bene, coordenados pelo procurador-adjunto da Sicília, Alfredo Morvillo.

Salvatore Lo Piccolo, que é de Palermo, é acusado de vários assassinatos e considerado um mafioso “à antiga”.

Seu filho Sandro, de 32 anos, era um de seus homens de confiança e também é acusado de vários assassinatos.

Em janeiro deste ano, a Polícia antimáfia divulgou um retrato falado de Salvatore Lo Piccolo, já que, assim como ocorria com Provenzano, só se tinha fotos antigas dele.

O retrato falado sobre como Lo Piccolo podia ser foi feito graças às indicações do mafioso detido e agora colaborador da Justiça Ninno Giuffrè, informou a imprensa italiana.

Em uma primeira reação após a detenção, o procurador de Palermo Francesco Messineo disse que seu escritório está muito satisfeito.

“Os personagens detidos não são meros fugitivos, mas chefes mafiosos que exercitavam seu poder sobre o território”, disse.

O chefe de Polícia da região, Giuseppe Caruso, em declarações à agência de notícias “Ansa”, disse que, “após a detenção de Bernardo Provenzano, agora foi a vez de Piccolo”.

“Estávamos em seu encalço há muito tempo, e isso é um grande êxito, porque também foi detido com outros dois chefes importantes”, acrescentou.






Você pode gostar