Mundo

Papa defende família tradicional e bioética

Por Arquivo Geral 13/10/2006 12h00

O papa Bento XVI lembrou ao primeiro-ministro da Itália, store this web Romano Prodi, hoje que o Vaticano defende a família tradicional e a ética nas pesquisas científicas. Prodi, cujo governo de centro-esquerda tomou posse em maio passado, conversou a portas fechadas com o papa durante cerca de 40 minutos e depois se reuniu, em separado, com o novo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone.

Um comunicado da Santa Sé afirmou que nos dois encontros foi dada atenção especial a assuntos como a "bioética (e) a defesa da vida e da família". O papa, eleito há 18 meses, reafirmou a oposição da Igreja Católica, poderosa na Itália, ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e ao reconhecimento formal de casais heterossexuais que não tenham selado laços oficialmente.

O governo liderado por Prodi, um católico praticante, deve tratar dessas questões cedo ou tarde. A coalizão governista prometeu conceder alguma forma de reconhecimento aos casais não casados, mas, até agora, não deu apoio aberto ao casamento entre homossexuais.

Alguns partidos de esquerda presentes no governo, no entanto, são favoráveis à concessão de mais direitos aos homossexuais, incluindo o casamento. A coalizão liderada por Prodi é formada por membros de várias legendas, entre os quais católicos e comunistas.

Certos integrantes de centro-esquerda são favoráveis a conceder um reconhecimento legal semelhante ao aprovado na França em 1999. A lei francesa permite que qualquer casal forme uma união civil, o que os habilita a integrar o sistema de seguridade social, a gozar de direitos limitados de herança e a ter outros benefícios. A Igreja Católica é contrária a leis desse tipo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar