Mundo

Mudança meteorológica ajuda a combater incêndios no sul da Califórnia

Por Arquivo Geral 25/10/2007 12h00

O enfraquecimento dos ventos secos do Leste, treat que tinham alimentado os incêndios no sul da Califórnia, about it era a notícia mais esperada pelos bombeiros, que encontraram hoje outros dois corpos carbonizados entre as ruínas de uma casa.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, sentiu pessoalmente o drama da população em visita ao local, que tenta ainda se livrar do fantasma do furacão Katrina.

Há dois anos o Governo federal recebeu muitas críticas por sua lenta resposta ao desastre causado pelo ciclone, que arrasou Nova Orleans.

No entanto, Bush não quis fazer semelhanças. “Há muito tempo para que historiadores comparem essa resposta àquela resposta”, disse o líder, após inspecionar os destroços na cidade de Escondido.

Até agora, os bombeiros concentraram seus esforços em minimizar os danos causados pelo fogo, em vez de combatê-lo diretamente, devido à força dos ventos que chegavam do deserto.

Os ventos de “Santa Ana”, como são conhecidos, se juntam e seguem desde as planícies áridas em direção à costa, ao oeste, e nos piores momentos desta semana chegaram a ultrapassar 160 km/h. Finalmente, os ventos acabaram e no lugar deles uma leve brisa marinha leva umidade para o interior e baixa as temperaturas.

A mudança meteorológica permitiu suspender a ordem de evacuação em muitos municípios e seus moradores começaram a voltar para casa.

No entanto, outras localidades continuam fechadas e milhares de casas estão em perigo, pois os bombeiros só conseguiram controlar uma extensão mínima das dezenas de incêndios que ainda devoram o monte baixo, onde o fogo é favorecido pela seca do último ano e meio.

Até o momento, mais de 1.800 quilômetros quadrados foram queimados, duas vezes mais que a extensão de Nova York, e 2.000 casas ficaram destruídas ou danificadas, segundo o departamento de Florestas e Proteção contra Incêndios da Califórnia.

O número de pessoas mortas por ação direta das chamas aumentou hoje para três, depois que a Polícia encontrou dois corpos carbonizados nas ruínas de uma casa em Poway.

Cinco idosos morreram durante a evacuação ou por estarem fora de suas casas, de acordo com departamento forense de San Diego.

Poway é uma das localidades cercadas, já que segue sob a ameaça do incêndio “Witch”, o maior de todos, que é combatido por mais de 2.600 bombeiros no norte de San Diego.

O município de Ramona também está fechado, embora permaneçam nele alguns moradores que, como Wendy Urtiz, de 27 anos, decidiram não abandoná-lo.

“Eu me senti mais segura ficando em casa, porque as pessoas estavam desesperadas para saírem e isso me pareceu perigoso”, disse Urtiz em entrevista telefônica.

“O pior foi na segunda-feira, por toda a fumaça que havia”, assinalou a mulher, que ficou em sua casa com seus quatro filhos.

Em Ramona duas lojas continuam abertas, embora não haja água, e só o pessoal de emergência possa entrar ou sair do município.

Mas o enfraquecimento dos ventos não foi bom para todos. Os moradores de 20 localidades na cidade de San Diego, que antes tinham ficado à margem das chamas, receberam o aviso para se preparem para sair de suas casas.

Além disso, agora que os ventos não levam a fumaça e as cinzas até o mar, a qualidade do ar piorou em todas as regiões afetadas, desde Ventura, ao norte de Los Angeles, até a fronteira com o México.

Bush sobrevoou algumas das áreas mais afetadas junto com o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger e viu de perto a qualidade do ar.

Em Escondido, prometeu ajuda federal aos desabrigados para a reconstrução e disse palavras de ânimo. “Queremos que o povo saiba que há um amanhã melhor, que sua vida pode parecer difícil, mas que amanhã vai ser melhor”, insistiu.






Você pode gostar