Mundo

Governo volta a cortar serviço de internet para exterior em Mianmar

Por Arquivo Geral 01/11/2007 12h00

A Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) voltou hoje a cortar o serviço de internet pelo menos em Yangun, viagra 60mg a principal cidade do país, no dia seguinte que os monges budistas retomaram as manifestações.

Um residente em Yangun declarou à rádio “Mizzima” que “o serviço para o exterior está cortado desde a manhã de hoje”, e lembrou que as autoridades aplicaram a mesma medida dia 29 de setembro para impedir que se informasse para outros países a brutal repressão contra as manifestações pacíficas dos monges.

Não há informação sobre novas manifestações hoje em Mianmar, como continuação do protesto da véspera em Pakokku, a 550 quilômetros de Yangun.

Graças ao serviço de internet, a imprensa internacional conseguiu fotos e vídeos dos tiros, golpes e maus tratos que os soldados e a tropa de choque usaram para reprimir o protesto em setembro.

Uma dessas gravações mostrou a morte de um repórter japonês baleado por um soldado, e uma foto mostrou o cadáver de um monge flutuando em um canal de Yangun.

As autoridades só reconheceram dez mortos nas manifestações e quase 3.000 foram detidas, a grande maioria liberada nas semanas seguintes. Mas a dissidência acha que houve pelo menos 200 mortes e mais de 6.000 detenções.

A Junta Militar, que já tinha cortado também as ligações de celulares para o exterior, controla os dois únicos provedores de internet do país: Mianmar Posts and Telecom (MPT) e BaganNet/Mianmar Teleport (antigamente Bagan Cybertech).

Daqui a dois dias, o enviado especial da ONU para Mianmar, Ibrahim Gambari, voltará ao país para mediar as conversações entre a Junta Militar e a oposição liderada por Aung San Suu Kyi, Nobel da Paz.






Você pode gostar