Mundo

Explosão em ônibus mata oito pessoas e fere 56 na Rússia

Por Arquivo Geral 31/10/2007 12h00

Se for confirmado que a explosão foi um atentado, approved este seria o mais grave cometido contra civis na Rússia desde agosto de 2006, price quando três nacionalistas russos detonaram uma bomba em um mercado de Moscou e mataram dez pessoas, deixando 50 feridos.

O governador da região de Samara, Vladimir Artiakov, anunciou hoje que a Promotoria iniciou um processo por “ato terrorista”, “assassinatos múltiplos” e “transporte de explosivos”.

De acordo com a agência oficial russa “Itar-Tass”, Artiakov fez o anúncio em Togliatti, cidade com 800 mil habitantes, no exato lugar onde ocorreu a explosão. “A principal linha de investigação é que se trata de um ato terrorista”, disse o governador.

O Departamento do Interior de Samara confirmou que uma bomba com uma potência equivalente a um quilo de dinamite explodiu no ônibus de passageiros. “A potência da bomba poderá ser esclarecida depois de se realizar uma série de investigações”, afirmou um porta-voz da Polícia.

Outra fonte policial citada pela agência oficial russa informou que os artífices dos serviços de segurança “já encontraram restos da bomba” no local.

No entanto, os investigadores ainda não puderam estabelecer se a bomba foi detonada expressamente no ônibus ou se foi um acidente, que ocorreu enquanto era transportada por um dos passageiros.

A explosão, segundo o Departamento do Interior de Samara, ocorreu às 8h12 (2h12 em Brasília). Em um primeiro momento, fontes policiais indicaram a possibilidade de a explosão ter sido produto da detonação de um balão de gás liquidificado.


A administração da empresa de transporte a que pertence o ônibus acidentado declarou que todos os veículos são submetidos a uma revisão de segurança antes de começar o trajeto e descartou que a bomba já estivesse dentro do veículo quando este começou a pegar passageiros. “A explosão foi de tal magnitude que as janelas do primeiro e do segundo andares de um edifício quebraram, e alguns dos moradores precisaram de atendimento médico”, disse o porta-voz do Serviço de Resgate de Togliatti, Andrei Derbeniov, citado pela agência russa “RIA Novosti”.

Dos 56 feridos, cerca de vinte são estudantes que se dirigiam à Universidade do Estado, que está localizada nas proximidades do local onde ocorreu a explosão. Segundo o Centro de Medicina de Catástrofes da Rússia, quatro dos hospitalizados, entre os quais há três crianças, se encontram em estado grave e tiveram que passar por cirurgias. A maioria dos feridos apresenta queimaduras, rompimento de tímpanos, cortes e contusões.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu a seu representante no distrito federal de Volga, Aleksandr Konovalov, que adote “todas as medidas para prestar assistência médica aos feridos e ajudar os familiares dos mortos”, informou o serviço de imprensa do Kremlin.

O Ministério do Interior da Rússia enviou a Togliatti um grupo de especialistas na luta contra o crime organizado e o terrorismo para reforçar a equipe de investigadores que trabalha no local.






Você pode gostar