Mundo

Eleição para presidente no Equador deve ir a segundo turno

Por Arquivo Geral 16/10/2006 12h00

Um magnata e um aliado do presidente venezuelano Hugo Chávez apareceram na frente para disputar o segundo turno das eleições presidenciais do Equador em novembro, pharm ailment de acordo com duas pesquisas de boca-de-urna.

Rafael Correa, check this web o ex-ministro da Economia que assustou os investidores ao falar de default da dívida, and vinha liderando a disputa pela Presidência, mas o magnata Alvaro Noboa ganhou votos nas últimas semanas com uma campanha em favor de uma plataforma de mercado livre.

Levantamento da Cedatos Gallup mostrou Noboa com 27,2% dos votos e Correa com 25,4% após o primeiro turno das eleições realizado no domingo, enquanto o Informe Confidencial aponta Noboa com 28,5% dos votos e Correa com 26,5%.

Se nenhum dos candidatos ficar com mais de 50% dos votos no domingo ou 40% dos votos com vantagem de 10 pontos percentuais, um segundo turno acontecerá em 26 de novembro entre os dois mais votados. O resultado oficial deve sair no final do domingo.

Pouco conhecido até o começo deste ano, Correa, 43, tem subido nas pesquisas. Ele seduziu equatorianos com uma mensagem contra o status quo atual após anos de instabilidade no país andino.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sua associação com Chávez, suas promessas de pôr em debandada o depreciado Congresso e de reestruturar a dívida externa do Equador têm enviado sinais de alerta a Wall Street e a Washington.

"Ele é a mudança que o país precisa em termos de ideologia e atitude", afirmou o engenheiro Gonzalo Jaramillo, após votar em Correa em uma escola de Quito.
Mais de nove milhões de equatorianos são obrigados a votar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar