Mundo

DNA de estrangeiro é encontrado em sítio arqueológico chinês

Por Arquivo Geral 28/06/2006 12h00

Testes de DNA mostraram que o primeiro imperador da China empregou um estrangeiro na construção de seu mausoléu, decease symptoms que abriga os guerreiros de terracota de Xian. Essa seria uma prova do contato entre a Ásia Central e Oriental há 2,2 mil anos.

Qin Shi Huang foi o primeiro imperador da China unificada. Ele construiu a primeira Grande Muralha e edificou um mausoléu gigante para si mesmo, nas cercanias da cidade de Xian, no noroeste do país. O local era guardado por um exército estimado em 8 mil soldados e cavalos de terracota.

Os cientistas tiraram 15 amostras de DNA dos restos mortais encontrados na tumba de operários e descobriram que uma delas pertencia a um homem europeu. Segundo a agência de notícias Xinhua, ele teria morrido com cerca de 20 anos.

"Uma amostra tem características típicas de DNA que pertencem comumente aos parsis, da Índia e do Paquistão, aos curdos do Turcomenistão e aos persas do Irã", afirmou Tan Jingze, antropólogo da Universidade Funda.

O homem pode ter sido um nômade, capturado enquanto trabalhava no norte e enviado ao sul para trabalhar na sepultura, que empregou 700 mil homens em sua construção.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"A descoberta prova que o povo na Ásia oriental tinha contato, naquela época, com aqueles que, hoje em dia, habitam a porção central do continente asiático", disse o pesquisador.

Os cientistas pensavam que intercâmbios entre as duas regiões começaram durante a dinastia Han (de 206 a.C. a 220 d.C.). Mas a prova de DNA oferece evidência de que algum contato havia sido feito já no começo da dinastia Han.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar