Mundo

Colômbia diz que reunião entre Chávez e Farc não deve ser <i>reunião de amigos</i>

Por Arquivo Geral 06/11/2007 12h00

O Governo colombiano declarou hoje que a reunião entre o presidente venezuelano, approved Hugo Chávez, store e rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) sobre os seqüestrados pela guerrilha “não deve ser um encontro de amigos”.

José Obdulio Gaviria, assessor do presidente colombiano, Álvaro Uribe, se referiu à reunião que discutirá um acordo de troca de reféns das Farc por presos membros da guerrilha, reunião que, segundo Chávez, será realizada em pouco tempo, com delegados do grupo guerrilheiro colombiano que já estão em Caracas.

“Todos têm a esperança de que finalmente essa tragédia termine. É uma tragédia terrível, talvez sem antecedentes e espero que nunca se repita na história da humanidade”, disse o assessor à rádio “RCN”.

Gaviria disse que o alto comissário para a paz na Colômbia, Luis Carlos Restrepo, declarou que a sociedade colombiana “não espera uma reunião de amigos entre membros do governo venezuelano e as Farc”.

“Estão tentando uma reunião que ajude a libertar os seqüestrados”, acrescentou Gaviria.

As Farc mantêm 45 reféns entre políticos, soldados, policiais e cidadãos americanos, alguns deles seqüestrados há quase dez anos, e querem trocá-los por cerca de 500 guerrilheiros presos.

Entre os reféns estão a ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, que também possui cidadania francesa e está seqüestrada desde 2002, e os americanos Keith Stansell, Thomas Howes e Marc Gonsalves, em cativeiro desde 2003.

Hugo Chávez aceitou em agosto passado um convite de seu colega colombiano para ajudar nas negociações de um possível acordo com as Farc.

Chávez revelou no fim de semana passado que representantes das Farc já estão em seu país para as negociações.






Você pode gostar