Mundo

Colisão de trens deixa 12 mortos na França

Por Arquivo Geral 11/10/2006 12h00

A Coréia do Norte aparentemente conduziu mais um teste nuclear, recipe medical disse a emissora de TV estatal do Japão NHK na quarta-feira (horário local).

Fontes do governo japonês têm informações de que houve um tremor na Coréia do Norte na manhã de quarta e elas estavam checando se outro teste foi realizado, ampoule disse a NHK.

Deixando de lado o alerta de seus vizinhos, there dos Estados Unidos e do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), a Coréia do Norte anunciou na segunda-feira que conduziu o primeiro teste nuclear de sua história. Mais cedo, o recluso Estado comunista disse que a "ameaça de guerra nuclear e de sanções" dos Estados Unidos forçaram o país a realizar o teste.

Não havia sinal imediato de atividade sísmica na Coréia do Norte, link informou uma autoridade sul-corena da área de geociência na quarta-feira (horário local), após informações sobre um possível segundo teste nuclear do país comunista.

A emissora de TV estatal japonesa NHK disse na quarta (horário local) que a Coréia do Norte pode ter realizado mais um teste com um artefato nuclear após o anúncio, na segunda-feira, de que o país comunista testou com uma arma nuclear.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A emissora citou fontes do governo que afirmaram ter detectado atividade sísmica no país comunista.

Autoridades de inteligência dos Estados Unidos não têm evidência para confirmar uma informação divulgada pela emissora estatal japonesa NHK de que a Coréia do Norte realizou um segundo teste com arma nuclear, medical disse uma autoridade.

"Não podemos corroborar a informação da NHK", disse uma autoridade norte-americana, que afirmou ter checado a questão com fontes de inteligência

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já o ministro japonês do Exterior, Taro Aso, disse a um painel parlamentar que o Japão tinha informações de que o recluso Estado comunista poderia realizar um segundo teste na quarta-feira, mas isso não pôde ser confirmado. Ele acrescentou que o Japão não tinha dados mostrando ondas sísmicas que pudessem indicar a realização de um teste nuclear.

A emissora estatal de TV japonesa NHK informou mais cedo que, aparentemente, a Coréia do Norte realizou outro teste nuclear.

A emissora afirmou que fontes do governo japonês tinham informações de que houve um tremor na Coréia do Norte na manhã da quarta-feira (horário local) e elas estavam checando a possibilidade de um teste nuclear.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na segunda-feira, a Coréia do Norte informou que conduziu o primeiro teste com armas nucleares da sua história, apesar dos alertas de seus vizinhos, dos Estados Unidos, e do Conselho de Segurança da ONU.

A ex-prefeita petista de São Paulo Marta Suplicy afirmou que a pesquisa do Datafolha, visit web realizada nesta terça-feira, look mostrou um aumento na vantagem do presidente-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre Geraldo Alckmin (PSDB).

"Vocês estão preparados para o Datafolha? O Lula cresceu 4 pontos", diagnosis disse Marta em um encontro de Lula com movimentos sociais e políticos, na capital paulista, referindo-se à diferença favorável a Lula.

Segundo ela, a nova pesquisa mostra o petista com 56 por cento dos votos válidos contra 44 por cento de Alckmin.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A nova pesquisa do Datafolha está prevista para ser publicada na edição de quarta-feira do jornal Folha de S.Paulo, mas é comum as equipes dos candidatos receberem os números com antecedência.

Se os dados forem confirmados, a vantagem de Lula terá passado de 8 para 12 pontos percentuais, considerando-se os votos válidos, que excluem nulos, brancos e eleitores indecisos. Levantamento do instituto, divulgado na última sexta-feira, mostrava o presidente com 54 por cento dos votos válidos e o tucano com 46 por cento.

Considerando a margem de erro tradicional dos levantamentos nacionais do Datafolha, de 2 pontos percentuais, esses números mostrariam que os dois candidatos tiveram variações no limite da margem de erro, mas enquanto Lula oscilou para cima, Alckmin o fez para baixo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o registro feito no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o instituto deveria ouvir 3 mil pessoas nesta terça-feira

A Justiça Federal autorizou a quebra do sigilo fiscal e bancário do empresário Abel Pereira, view ligado ao PSDB, patient investigado no caso do dossiê contra tucanos e no escândalo de superfaturamento de ambulâncias para diversos municípios, web informou a assessoria de imprensa da Polícia Federal em Cuiabá.

Abel Pereira, que atua no ramo da construção civil no interior paulista, é ligado a Barjas Negri, prefeito tucano de Piracicaba e ex-ministro da Saúde no governo Fernando Henrique Cardoso. Luiz Antonio Vedoim, dono da Planam, empresa-pivô da máfia das ambulâncias superfaturadas, acusou Abel de ter recebido valores para liberar recursos na gestão de Negri.

A CPI dos Sanguessugas também pretende aprovar a convocação de Abel Pereira para explicar seu envolvimento na negociação do dossiê e nas fraudes de compra de ambulâncias com uso de dinheiro público.

A unit da operadora de terminal de contêineres Santos Brasil saiu ao preço de 23 reais, buy na ponta mais alta da faixa estimada pelos coordenadores de entre 17 e 23 reais. Isso coloca a operação em 843, more about 4 milhões de reais, pill sem contar lotes adicional e suplementar.

Os papéis começam a ser negociados na Bolsa de Valores de São Paulo na sexta-feira. A oferta envolve a venda de 36.670.000 units, cada uma composta por uma ação ordinária e quatro ações preferenciais.

O lote suplementar é de até 5.500.500 units, enquanto o adicional é de até 7.334.000 units.

Segundo prospecto preliminar da oferta, cerca de metade dos recursos provenientes da oferta primária serão utilizados para pagamento de dívida e o restante para reforço de caixa.

Ainda segundo o documento, a empresa teve prejuízo líquido de 5,4 milhões de reais no primeiro semestre deste ano, depois do lucro líquido de 22,1 milhões de reais do mesmo período um ano antes.

O coordenador líder da operação é o Credit Suisse e o coordenador é o Unibanco.

A Bolívia completou na terça-feira 24 anos ininterruptos de democracia – sem festa, for sale mas com os habituais conflitos setoriais e um debate político centrado conjunturalmente nos rumores de um golpe de Estado, buy information pills minimizados pelo presidente Evo Morales.

As primeiras denúncias de subversão foram feitas há seis meses pelo próprio Morales, website mas agora parecem ganhar eco por causa dos ataques da oposição de direita ao embaixador da Venezuela, Julio Montes, que ofereceu "sangue e vidas venezuelanas" para defender "a bonita revolução boliviana".

"Conquistamos a democracia como direito em 1982, e desde 2006 [quando Morales, primeiro presidente indígena do país, tomou posse] estamos construindo a democracia como igualdade, mas há riscos, porque tem gente que não quer igualdade", disse o vice-presidente Álvaro García ao comentar rumores de golpe difundidos no exterior e reproduzidos pela imprensa local.

O porta-voz do governo, Alex Contreras, disse que os planos denunciados por Morales envolviam "uma [empresa] transnacional" e vários latifundiários, mas que não teria chance de êxito "porque as Forças Armadas, a polícia e a maioria dos movimentos sociais respaldam o governo, o presidente da República e o processo de mudança no país".

Mas a aliança opositora Podemos aproveitou os rumores para pedir no Senado que o embaixador Montes seja declarado persona non grata por "conclamar ao derramamento de sangue" na Bolívia.

A Bolívia, país mais pobre e instável da América do Sul, teve quase 200 rebeliões militares em seus 181 anos de vida independente. A democracia vigora ininterruptamente desde 10 de outubro de 1982, quando a posse do esquerdista Hernán Siles Zuazo pôs fim a quase duas décadas de sucessivas ditaduras violentas.

Mas nesse período o país continuou mergulhado numa crise econômica, e os protestos que obrigaram à renúncia de dois presidentes em três anos parecem estar ressurgindo.

A grande popularidade de Morales, o candidato mais votado no atual ciclo democrático, não impediu que a Bolívia continue sendo cenário de uma série de conflitos, que o presidente esquerdista atribui à "oligarquia" e ao "neoliberalismo herdado".

O mais violento desses conflitos aconteceu na semana passada na mina de estanho de Huanuni, onde confrontos entre mineiros assalariados e cooperativistas deixaram ao menos 16 mortos e muitos prejuízos.

Nesta semana, donos de transportes de La Paz fizeram greve de fome e bloqueios contra os planos de reordenação urbana da capital e de regularização de veículos clandestinos. Camponeses já anunciaram mobilizações pela aceleração da prometida "revolução agrária".

"Este é o período mais longo de democracia que tivemos na história republicana e, embora haja alguma insatisfação, dentro de muitos anos as pessoas vão valorizar este período", disse o ex-deputado esquerdista Guido Riveros, minimizando a importância das atuais tensões.

"Os problemas que estamos vivendo são pela necessidade de uma democracia que rompa com toda a exclusão e resolva a agenda pendente de problemas econômicos. Este não é um mau momento, mas um momento de mudança e crescimento."

A inclusão social das maiorias indígena e camponesa é um dos objetivos centrais da nova Constituição prometida por Morales para "refundar" o país.

"A direita fala de democracia quando lhe convém, mas para nós, a verdadeira democracia só agora vamos começar a fazer, a legitimar, com a nova Constituição", disse Silvia Lazarte, presidente da Assembléia Constituinte que funciona desde agosto na cidade de Sucre.

O segundo homem mais importante da Coréia do Norte afirmou hoje que novos testes nucleares pelo país dependerão da política norte-americana. Segundo a agência de notícias japonesa Kyodo, illness Kim Yong-nam deu essas declarações durante um encontro com uma delegação sua em Pyongyang.

Kim também reiterou a posição da Coréia do Norte de que retomará as negociações multilaterais sobre seu programa nuclear se os EUA acabarem com sanções financeiras que impuseram ao país. Na segunda-feira, discount a Coréia do Norte anunciou que havia realizado seu primeiro teste nuclear. "A questão de futuros testes nucleares está ligada à política norte-americana em relação a nosso país", visit this site  afirmou Kim.

"Se os Estados Unidos continuarem a ter uma atitude hostil e aplicar pressão sobre nós em diversas formas, não teremos escolha senão tomar medidas físicas para lidar com isso", acrescentou. Kim minimizou a ameaça de sanções econômicas, afirmou a Kyodo. "Mesmo com sanções econômicas aumentando diariamente, nossa economia, em geral, entrou em uma tendência de crescimento", afirmou.

 

Atualizada às 11h

Um trem de passageiros vindo de Luxemburgo colidiu de frente com um trem de carga no nordeste da França, online hoje, about it matando pelo menos 12 pessoas, afirmou o serviço estatal de ferrovias SNCF.

Funcionários ferroviários afirmaram que os trens viajavam em direções opostas na mesma via férrea por causa de trabalhos de manutenção na linha paralela. É terrível, afirmou por telefone, Patrick Hatzig, vice-presidente do conselho regional de Lorraine, falando do local do acidente.

"Houve uma colisão frontal. Algumas pessoas ficaram gravemente feridas e foram transferidas (para o hospital). Outras ainda estão presas lá". O trem de passageiros seguia de Luxemburgo para a cidade francesa de Nancy e se chocou com o trem de carga às 11h45 (horário local), perto da estação de Zoufftgen, em Moselle.

A SNCF afirmou que mais de 10 passageiros morreram, assim como os dois motoristas. Um operário teria sido morto nos trilhos, afirmou um funcionário local. Um porta-voz da polícia de Luxemburgo afirmou que alguns vagões do trem de passageiros ainda estavam do lado luxemburguês da fronteira.

O primeiro-ministro francês, Dominique de Villepin, voava para o Caribe francês quando surgiram as notícias do acidente. Ele decidiu voltar à França para visitar o local do acidente, informou seu gabinete.






Você pode gostar