Menu
Mundo

Charles III e Camilla, da impopularidade a uma coroação muito aguardada

Nascido em 14 de novembro de 1948, Charles Philip Arthur George foi o primeiro dos quatro filhos de Elizabeth II e do príncipe Philip

Redação Jornal de Brasília

05/05/2023 7h41

Foto: Marco BERTORELLO / AFP

Charles III, um dos integrantes mais impopulares da realeza britânica até sua ascensão ao trono, será coroado aos 74 anos, ao lado da mulher que amou a vida toda e que será a sua rainha.

Nascido em 14 de novembro de 1948 no Palácio de Buckingham, Charles Philip Arthur George foi o primeiro dos quatro filhos de Elizabeth II e do príncipe Philip.

Ele era um menino tímido e sensível quando, em 1958, foi designado príncipe de Gales. Em seguida, foi enviado para estudar em um internato austero na Escócia, o mesmo em que seu pai foi aluno e que, ao invés de forjar um caráter duro, como Philip esperava, foi “um inferno absoluto” para Charles.

Em 1970 ele se tornou o primeiro herdeiro da coroa britânica com um diploma, da Universidade de Cambridge, onde estudou Arqueologia e Antropologia.

No mesmo ano ele conheceu, durante uma partida de polo, Camilla Shand, que frequentava os mesmos círculos sociais e pela qual o príncipe se apaixonou.

Mas entre 1971 e 1976, o príncipe serviu na Marinha britânica e, para sua decepção, enquanto estava em missão no Caribe, Camilla se casou com outro de seus pretendentes, o major Andrew Parker Bowles, com quem teve dois filhos.

Muito pressionado para casar, em fevereiro de 1981 Charles ficou noivo de Diana Spencer, que então tinha 19 anos.

A cerimônia de matrimônio aconteceu em julho e foi uma grande festa nacional. Em 1982 nasceu o príncipe William e dois anos mais tarde seu irmão Harry.

Mas o casamento foi o grande fracasso, que durante décadas abalou a popularidade do príncipe de Gales, apesar de seu intenso trabalho em causas beneficentes, de sua defesa veemente da causa ecológica e da luta contra as mudanças climáticas.

O casal se separou em 1992 e se divorciou em 1996.

Naquela época, Charles já mantinha uma relação com Camilla, divorciada em 1995, que provocou escândalo quando a imprensa divulgou suas escandalosas conversas íntimas por telefone.

Após a morte de Diana em um acidente de trânsito em Paris em 1997, Charles precisou de uma grande campanha de Relações Públicas para superar o elevado índice de impopularidade.

Camilla, reconhecida

Em 2005, Charles se casou com Camilla, que durante muito tempo foi observada com desconfiança pelos britânicos, que a consideravam responsável pelo fracasso do matrimônio com Diana.

Mas esta mulher extrovertida e sorridente, com voz grave, conseguiu ser aceita aos poucos e acabou conquistando a simpatia dos britânicos.

A falecida rainha Elizabeth II expressou o “desejo sincero” de que, quando Charles ascendesse ao trono, Camilla fosse reconhecida como “rainha consorte”, em vez de princesa.

Este já foi um grande passo. Porém, um mês antes da coroação, o palácio apresentou o convite da cerimônia e Camilla apareceu designada simplesmente como rainha, sem o título consorte.

É um grande avanço para a senhora de 75 anos, que até a morte de Elizabeth II em setembro do ano passado era conhecida apenas como a duquesa da Cornualha, depois de optar não utilizar o título de princesa de Gales, muito associado a Diana.

Nascida em 17 de julho de 1947, a primeira filha de Bruce Shand e de Rosemary Cubitt, ricos proprietários de terras, ela foi educada nas melhores escolas particulares, em Londres, na França e na Suíça.

“Camilla nunca teve a ambição de ser princesa, duquesa ou rainha. Queria apenas ficar ao lado do príncipe de Gales”, afirmou Penny Junor, biógrafa de Charles, no 10º aniversário de casamento.

“Trabalham muito bem juntos”

Com senso de humor, simplicidade e desenvoltura ele ganhou visibilidade graças a seu compromisso com as causas sociais.

Há vários anos, ela defende as vítimas de estupros e agressões sexuais. Outros temas de seus interesses são a saúde, as artes, a literatura e a equitação, atividade que compartilhava com Elizabeth II.

Companheira fiel e serena, muitos passaram a reconhecer o impacto positivo do apoio inabalável que ela oferece ao marido.

“As pessoas percebem que Camilla é ideal para Charles e os dois trabalham muito bem juntos”, declarou recentemente à AFP o analista da realeza Richard Fitzwilliams.

Para mostrar a imagem moderna de uma família recomposta, a nova rainha incluiiu seus filhos e netos na cerimônia de coroação, ao lado dos filhos e netos de Charles III.

© Agence France-Presse

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado