Mundo

Brasileira é presa nos EUA por liderar rede de prostituição

Por Arquivo Geral 16/06/2006 12h00

Uma brasileira foi presa em Nova York acusada de integrar uma rede de prostituição de luxo. A capixaba Andréia Schwartz, nurse cost 31 anos, está detida desde 2 de junho, depois de mostrar um catálogo com garotas de programa a dois policiais à paisana.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, Andréia também é acusada de posse de drogas e lavagem de dinheiro. Ela teria tentado comprar, com dinheiro ilegal, um andar inteiro de um hotel em Manhattan em parceria com investidores italianos.

Segundo a polícia, Andréia confessou liderar a rede de prostituição havia um ano e meio. No entanto, os policiais constataram que ela lucrou US$ 1,5 milhão desde 2001. No depoimento, a capixaba também teria admitido fornecer cocaína aos clientes.

Andréia pode ser condenada a um ano, por prostituição, e a pelo menos 15 anos por tráfico de drogas e não pode responder ao processo em liberdade porque a Justiça americana recusou o pagamento de fiança. Ela morava num condomínio de alto padrão em Manhattan, a uma quadra do Central Park.

Na quarta-feira, outra brasileira, Cláudia de Castro, foi presa ao ir ao apartamento de Andréia pegar objetos pessoais. Segundo o jornal, a prisão de Cláudia, que vive em situação ilegal nos EUA, foi tramada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar