Menu
Mundo

Bispo australiano é acusado de crimes sexuais

“É correto e apropriado, e na verdade necessário, que todas as denúncias sejam investigadas de maneira profunda”, afirmou Costello

Redação Jornal de Brasília

22/02/2024 7h21

Foto: Pixabay

A polícia australiana acusou o bispo emérito Christopher Alan Saunders, um dos principais líderes católicos do país, de estupro e atentado ao pudor.

O bispo emérito foi detido na quarta-feira à noite no estado da Austrália Ocidental após uma investigação interna do Vaticano que acionou a polícia que investiga crimes de abuso infantil.

A polícia informou que o religioso recebeu 14 acusações de atentado ao pudor e duas acusações de penetração sexual sem consentimento, um termo jurídico para estupro.

O homem de 74 anos, que deve comparecer a um tribunal nesta quinta-feira, também enfrenta três acusações de “comportamento indecentemente com um menor de idade” de entre 16 e 18 anos.

O arcebispo de Perth e presidente da Conferência dos Bispos Católicos Australianos, Timothy Costelloe, afirmou que as denúncias são “profundamente preocupantes”.

“É correto e apropriado, e na verdade necessário, que todas as denúncias sejam investigadas de maneira profunda”, afirmou Costelloe e um comunicado.

Os documentos judiciais demonstram que os supostos crimes de Saunders aconteceram entre 2008 e 2014.

Saunders comandou por mais de 20 anos a diocese de Broome, uma região do noroeste da Austrália com várias comunidades aborígenes em áreas remotas.

Ele renunciou em 2020 ao cargo de bispo, depois que a imprensa local publicou as primeiras denúncias de abuso sexual, mas continuou com o título de “bispo emérito”.

Uma investigação policial preliminar não encontrou evidências suficientes para acusar Saunders, que nega as denúncias.

Porém, com os rumores persistentes entre o clero, o Vaticano iniciou em 2022 sua própria investigação, com base nas novas atribuições estabelecidas pelo papa Francisco.

Os poderes “Vos estis lux mundi” (Você é a luz do mundo, em latim) foram criados em 2019 para ajudar a Igreja a investigar as denúncias de abuso sexual nos níveis mais elevados da instituição.

As descobertas da Igreja foram compartilhadas coma polícia, que reabriu a investigação.

O falecido cardeal australiano George Pell foi detido por acusações de abuso sexual em 2019, mas as condenações foram anuladas no ano seguinte.

 

© Agence France-Presse

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado