Mundo

Azerbaijão diz ter frustrado ataques a embaixadas dos EUA e do Reino Unido

Por Arquivo Geral 29/10/2007 12h00

O Ministério de Segurança Nacional do Azerbaijão anunciou hoje que foram abortados planos de ataques terroristas contra edifícios públicos e embaixadas e representações dos Estados Unidos e do Reino Unido, prescription entre outros países, por parte de um grupo islâmico radical.

O serviço de imprensa do ministério informou que, no sábado, as forças de segurança detiveram parte desse grupo islâmico, que “planejava terríveis atos terroristas e de sabotagem” contra instituições do país e delegações diplomáticas.

O porta-voz do departamento, Arif Babayev, disse que, na operação, foram apreendidos quatro fuzis automáticos, uma metralhadora, 20 granadas de mão e grande quantidade de munição, material que tinha sido roubado de uma unidade militar por um tenente do Exército do Azerbaijão, país vizinho ao Irã.

“No momento, estão em curso operações de busca para neutralizar os outros membros do grupo”, acrescentou Babayev.

Ontem, outros 17 membros de uma organização islâmica ligada à corrente radical do wahhabismo foram detidos.

Os consulados americano e britânico fecharam suas portas nesta segunda-feira e não atenderam ao público. As embaixadas, por sua vez, restringiram suas atividades e reforçaram as medidas de segurança.

No entanto, nas imediações das representações ocidentais na capital azerbaijana (Baku), não era observada nenhuma mobilização de forças de segurança.

As duas embaixadas, que não explicaram os motivos da suspensão de suas atividades, anunciaram que amanhã retomarão normalmente seus serviços.

Um americano e um britânico disseram à Efe que hoje receberam mensagens de texto de suas respectivas embaixadas aconselhando-os a terem cuidado, sobretudo nas áreas próximas às missões diplomáticas.

Companhias ocidentais como a norueguesa StatoilHydro e a britânica British Petroleum também reforçaram a segurança.

Atualizada às 17h14






Você pode gostar