Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Indústrias que inovaram durante pandemia tiveram aumento de lucro

Além dessas empresas, outras 5% tiveram pelo menos dois desses ganhos e outros 2% teve apenas em um

Por Geovanna Bispo 19/10/2021 5h30
Foto: Divulgação

Segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), oito em cada dez indústrias grandes e médias brasileiras que inovaram durante a pandemia de covid-19 tiveram aumento no lucro, produtividade e competitividade.

Além dessas empresas, outras 5% tiveram pelo menos dois desses ganhos e outros 2% teve apenas em um. Apenas 1% das indústrias brasileiras inovou e não teve nenhum resultado. Os dados ainda mostram que somente 13% não inovaram.

Ainda assim, 51% das indústrias não tem uma área específica de inovação. Os dados apontam ainda que 63% do total das empresas entrevistadas não têm orçamento reservado para inovação e 65% não dispõem de profissionais exclusivamente dedicados a inovar.

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, destaca que o caminho para o país voltar a crescer e recuperar a sua economia passa essencialmente por investimentos em inovação. “Diante do surgimento de pandemias assustadoras, como a da Covid-19, e da persistência de crônicos obstáculos ao crescimento econômico e à melhora das condições de vida da população, estimular o espírito inovador é primordial para avançarmos”, afirma.

Ainda de acordo com a pesquisa, as principais causas para dificuldade em inovar durante a pandemia são acessar recursos financeiros de fontes externas (19%), a instabilidade do cenário externo (8%), a contratação de profissionais (7%), falta de mão de obra qualificada (8%) e o orçamento da empresa (6%).

Pandemia

Segundo o mesmo levantamento, 79% das empresas pesquisadas afirmaram terem sido prejudicadas com a pandemia de covid-19, sendo que a maioria se encontra na região nordeste, com cerca de 93%.

58% das indústrias apontam que os fornecedores foram os mais prejudicados, seguida de vendas (40%) e linhas de produção (23%). Por outro lado, 20% dos executivos afirmaram terem sido pouco ou nada prejudicados pela pandemia de Covid-19. No total, 55% das empresas disseram que registraram aumento no faturamento bruto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio, alerta para a necessidade de as empresas olharem com mais atenção para a área de inovação. “Inovação é fundamental nesse processo de recuperação das empresas e para retomada economia. Quem não inovar não irá acompanhar essa evolução da indústria e se tornar competitivo e mais produtivo”, destaca.

Futuro

Mesmo com as baixas, a pandemia ainda assim trouxe coisas boas, industrialmente falando, para a maioria dessas empresas, já que ela as forçou a investir em inovações. Segundo o levantamento, 84% das grandes e médias empresas afirmam que investir em inovações para crescerem ou se manterem no mercado.

A pesquisa mostra que cerca de 49% das empresas vê como prioridade a ampliação do volume de vendas e produzir com menos custo para os próximos três anos. Além desses, 41% vê como prioridade produzir com mais eficiência, 34% a ampliação do volume e 27% a fabricação de novos produtos.

9º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria

A CNI e o Sebrae irão realizar o 9º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, marcado para esta quarta-feira (20). O evento virtual ainda está com inscrições abertas gratuitamente pelo site. A grande atração será o norte-americano Steve Wozniak, engenheiro eletrônico e cofundador da Apple, que falará sobre o futuro da inovação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O evento antecipa um pouco das novidades do Congresso de Inovação, realizado a cada dois anos, em parceria, pela CNI e o Sebrae. A última edição ocorreu em 2019. Em função da pandemia, o formato foi alterado e a data, que seria em 2021, transferida para março de 2022, em São Paulo.

O evento virtual de amanhã será uma prévia do Congresso e reunirá especialistas de cinco continentes. Eles vão refletir sobre como a inovação uniu o mundo a partir da pandemia de Covid-19, levando as experiências de suas regiões no enfrentamento aos grandes desafios globais, como a pobreza, as mudanças climáticas e as guerras.

Estrela do evento, o programador de computadores Steve Wozniak é um ícone no Vale do Silício e um dos principais nomes mundiais da inovação – foi pioneiro ao tornar computadores acessíveis ao consumidor comum. Em sua palestra, que só poderá ser acompanhada pelos inscritos para participar do Congresso, o cofundador da Apple partirá da história da empresa para percorrer os caminhos da inovação desde então e apontar tendências futuras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar