Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Guedes volta a defender reforma administrativa

Ministro garante que a medida “não atinge os direitos dos servidores públicos atuais” mas cria mudanças aos futuros funcionários

Por Willian Matos 01/09/2020 9h57
Paulo Guedes Foto: Alan Santos/ PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a defender a reforma administrativa, que altera as regras do funcionalismo público para reduzir gastos públicos. Nesta terça-feira (1), durante anúncio da prorrogação do auxílio emergencial no Palácio do Planalto, Guedes reforçou que a medida é voltada para o futuro.

“A reforma administrativa é importante. Como o presidente deixou claro desde o início, não atinge os direitos dos servidores públicos atuais, mas redefine toda a trajetória do serviço público para o futuro”, declarou Guedes.

“Nós estamos não só com os olhos na população brasileira a curto prazo, mas também pensando no futuro do país e implementando as reformas.”

Entre os participantes do encontro estavam os ministros da Economia, Paulo Guedes, da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e da Casa Civil, Walter Braga Netto. Foram convidados cerca de 20 parlamentares do chamado ‘Centrão’ e outros alinhados ao governo.

Na segunda (31), o vice-presidente Hamilton Mourão havia dado declaração similar. “A reforma administrativa não vai mexer nos direitos de quem já está estabelecido no terreno”, disse. “É daqui para a frente, para que tenhamos uma visão de futuro onde os gastos do estado brasileiro vão diminuir paulatinamente”, completou Mourão, em fórum realizado pela emissora BandNews.






Você pode gostar