Menu
Economia

Campos Neto: questão é o porquê de condições financeiras tão frouxas se juros estão tão altos

A dinâmica do mercado de trabalho, afirmou, gera preocupações sobre a inflação de serviços

Redação Jornal de Brasília

10/06/2024 11h42

Foto: Lula Marques/ Agência Brasil

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda-feira, 10, que a grande questão agora, compartilhada por outros bancos centrais pelo mundo, é o porquê das condições financeiras estarem tão frouxas se os juros estão tão altos. Ele frisou que a inflação de serviços segue acima da meta e o mercado de trabalho apertado em muitos lugares.

Ponderou que, apesar de permanecerem com o mercado de trabalho forte, a maioria dos países emergentes registraram alguma convergência na inflação de serviços, diferente do que ocorre nas economias avançadas.

A dinâmica do mercado de trabalho, afirmou, gera preocupações sobre a inflação de serviços. “Nos preocupamos se isso irá se traduzir em inflação nos serviços ou se explica porque a inflação de serviços ainda está acima da meta na maioria dos lugares”, disse, em webinar promovido pela Constellation Asset Management.

Campos Neto acrescentou que há ainda uma preocupação sobre de onde virá a desinflação nos Estados Unidos. “Nós estamos vendo uma desaceleração agora na margem na indústria, mas ainda assim, os números são fortes. No mercado de trabalho, ainda vemos números fortes em serviços.”

Inflação de alimentos

No mesmo evento, o presidente do Banco Central afirmou que embora a inflação de energia e alimentos esteja convergindo na maioria dos lugares, a inflação de alimentos está um pouco mais alta recentemente em nível global. “Isso não está acontecendo apenas no Brasil, estamos olhando para outros países e está acontecendo o mesmo”, disse.

O banqueiro central destacou que o movimento coincide com dados que indicam o aumento de anomalias em termos de temperatura no planeta nos anos recentes, com destaque para 2023 e 2024.

Transição verde

Campos Neto afirmou ainda que a transição verde é importante e precisa ser feita, mas representa um desafio para as empresas no curto prazo, porque pode significar custos mais elevados do lado da produção.

“Nós tivemos uma reunião outro dia sobre como podemos tornar, por exemplo, os negócios de entregas mais ecológicos, e o custo é muito maior porque precisamos trocar caminhões e mudar a forma como fazemos muitas coisas”, disse ele.

A pressão sobre os custos de produção da fragmentação das cadeias globais também é outro ponto de preocupação do BC, acrescentou o presidente do BC.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado