Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

5G em capitais pode ter atraso de 2 meses

O lockdown na China, a escassez de semicondutores e a demora no desembaraço aduaneiro são alguns dos motivos alegados

O conselho da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai analisar na próxima quinta-feira o pedido de prazo adicional de 60 dias para as operadoras começarem a rodar nas capitais a tecnologia 5G – a quinta geração das redes de comunicação móveis. A proposta foi aprovada no dia 11 pelo Grupo de Acompanhamento das Obrigações da Faixa de 3,5 GHz, o Gaispi.

Pela regra original do leilão, o 5G deveria estar disponível nas capitais até 31 de julho. A ideia, agora, é que as operadoras não sejam penalizadas caso a implementação se dê até 29 de agosto e a tecnologia esteja funcionando até 29 de setembro. A possibilidade de extensão do prazo foi prevista no edital.

Como mostrou o Estadão/Broadcast, o problema central está no fornecimento de aparelhos que serão usados para impedir a interferência no sinal – uma vez que nem todos os equipamentos necessários chegariam até o fim de junho. O lockdown na China, a escassez de semicondutores e a demora no desembaraço aduaneiro são alguns dos motivos alegados.








Você pode gostar