Menu
Brasil

Paciente é estuprada por vigilante em clínica de saúde mental no Grande Recife

O crime aconteceu na madrugada do dia 17 de novembro do ano passado, no Hospital Reluzir, em Aldeia, mas veio à tona nesta terça-feira

Redação Jornal de Brasília

19/06/2024 18h10

Foto: Reprodução

ALÉXIA SOUSA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS)

Uma paciente de 30 anos internada em uma clínica de saúde mental particular foi estuprada por um vigilante da unidade, em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife. A mulher estava sedada no momento em que o abuso ocorreu.

O crime aconteceu na madrugada do dia 17 de novembro do ano passado, no Hospital Reluzir, em Aldeia, mas veio à tona nesta terça-feira (18), com a divulgação das imagens de uma câmera de segurança no local, que registrou a ação.

A direção da unidade de saúde informou que o segurança trabalhou no estabelecimento por dois meses e foi demitido. O homem, que não teve o nome divulgado, é considerado foragido. A reportagem não conseguiu localizar a defesa do suspeito.

A Polícia Civil informou que o inquérito foi concluído, com o indiciamento do vigilante por suspeita de estupro. O caso foi encaminhado para o Ministério Público de Pernambuco.

Após o episódio, a família retirou a mulher da clínica e registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Camaragibe. Ainda de acordo com os parentes, a vítima estava internada para o tratamento de depressão, mas, depois da violência que sofreu, o quadro de saúde dela piorou.

A direção do Hospital Reluzir lamentou o ocorrido e afirmou que, desde que tomou conhecimento do caso, deu apoio à vítima e à família, além de colaborar com a polícia para investigar o crime.

“A situação narrada ocorreu em uma quinta-feira, durante a madrugada, tendo sido o Hospital noticiado apenas na sexta-feira pela manhã, durante uma consulta de rotina com a paciente que narrou o ocorrido.

Logo após, ainda na sexta-feira, o Hospital imediatamente checou as gravações das câmeras e ao verificar a situação, no mesmo dia realizou o registro do ocorrido juntamente com a delegacia”, disse, em nota.

O vídeo mostra quando o vigilante se aproxima da vítima durante a madrugada. Às 04h26, é possível ver o homem o mexendo na paciente, que estava sozinha na sala, deitada numa cama. Vestido com farda e colete, o segurança coloca a mão por baixo do lençol que cobria a mulher.

De acordo com a clínica, o segurança cumpria uma jornada de 12 horas por 36, saindo da clínica às 7h. A direção da unidade disse que repassou às autoridades policiais todos os endereços e telefones do ex-funcionário.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado