Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Ministério da Saúde lança campanha de amamentação

A ação foi intitulada de “Todos pela amamentação. É proteção para a vida inteira”

Por Guilherme Gomes 29/07/2021 12h28

Na manhã desta quinta-feira (29), o ministério da Saúde lançou a campanha para estimular a amamentação no Brasil. O evento aconteceu no auditório do Ministério da Saúde, em Brasília. A ação foi intitulada de “Todos pela amamentação. É proteção para a vida inteira”.

Rafael Câmara Parente estava presente no evento e representou o ministro Marcelo Queiroga, chamado com urgência para uma reunião com o presidente Bolsonaro. “Nós estamos atuando em outras pautas fora da Covid. Todas as peças serão divulgadas e pedimos para a sociedade divulgar a campanha”, disse.

Vale lembrar que a amamentação é super importante tanto para a mãe quanto para o bebê. O ato deve ser exclusivo pelos primeiros seis meses de vida da criança porque o leite materno contém tudo que o bebê precisa para essa fase de desenvolvimento.

Também presente no evento, o representante da Sociedade Brasileira de Pediatria, Luciano Santiago, lembrou que a amamentação é tudo na vida do bebê, desde em aspectos sociais e de saúde. “Proteger a amamentação é uma responsabilidade de todos nós. Aleitamento materno e pediatria fazem a diferença. É proteção e saúde para a vida inteira da criança, que diminui muito a capacidade de se infectar por doenças graças a amamentação. Além de aumentar o vínculo entre mãe e filhos”, disse o médico.

Dicas de amamentação

Vai ajudar na amamentação

Respeitar o ritmo do bebê. Cada bebê mama no seu próprio tempo; Deixar a criança mamar até que ela se satisfaça por completo. É importante que ela esvazie um peito antes de passar para o outro, caso ela deseje continuar mamando; Amamentar sempre que a criança solicitar o peito, sem definir horários; Ajustar a pega e a posição do bebê na amamentação, colocando-o bem de frente para a aréola (parte escura do seio) e ajudando-o a pegar a mama quando estiver com a boca bem aberta. Dessa forma, o queixo da criança encosta na mama, o nariz fica livre, os lábios ficam virados para fora e aparece mais aréola na parte de cima da boca do que na parte de baixo.

Se a mama estiver cheia e dura, retirar um pouco do leite até a aréola ficar mais macia, isso ajudará na pega do bebê no peito. Tome alguns cuidados para não machucar o peito na hora de colocar
o bebê para mamar e de retirá-lo da mama corretamente para evitar lesões. Amamentar não deve doer. Ao primeiro sinal de dor, deve-se buscar a ajuda de um profissional de saúde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que pode prejudicar a amamentação

Fumar, consumir bebidas alcoólicas e usar remédios por conta própria; Dar outros leites para “complementar” o leite materno. Dessa forma, a mãe acaba produzindo menos leite e a criança fica mais exposta a doenças; Oferecer qualquer líquido pela mamadeira. A criança pode se confundir, pois as maneiras de sugar o peito e a mamadeira são diferentes; Oferecer chupeta. Crianças que usam chupeta mamam por menos tempo.






Você pode gostar