Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Justiça do RJ suspende leilão de obra com símbolos nazistas

A juíza entendeu que existe “situação fatídica que gere grande prejuízo à parte requerente e a toda comunidade judaica e outras vítimas do holocausto”

Foto: Reprodução

Mônica Bergamo
FolhaPress

A Justiça do Rio de Janeiro determinou a suspensão de leilão virtual de um quadro com símbolos e ornamentos nazistas que seria realizado nesta sexta-feira (23). A obra reunia diversos broches com suásticas, tinha a frase “the strange loves of Adolf Hitler” estampada e uma assinatura de suposta autoria de Hitler.

A Justiça deferiu liminar acatando pedido da Federação Israelita do Rio de Janeiro (Fierj). A juíza entendeu que existe “situação fatídica que gere grande prejuízo à parte requerente e a toda comunidade judaica e outras vítimas do holocausto”.

“Há que se ponderar que foram relatados fatos graves envolvendo a comercialização de objeto ligado ao nazismo, tornando ainda mais urgente a medida pleiteada”, segue a juíza. A decisão é assinada pela juíza Angelica dos Santos Costa, do Tribunal de Justiça do Rio.

Ela também determinou a busca e apreensão da obra. “Há que se destacar que a medida se torna assaz importante posto que se trata de artefato que remete ao nazismo, o qual pode ser usado de forma escusa para propagar ideais antissemitas”, diz a decisão. Na petição, a Fierj afirma que não se trata de obra histórica do período nazista, mas de “verdadeiro produto apologético do pensamento histlerista”.

O presidente da Fierj, Alberto David Klein, afirma que recebeu a denúncia na quinta (22). “Nosso trabalho é combater todo o tipo de discriminação”, diz ele. “Cada vez mais a gente vê uma disseminação de pensamentos e ideologia nazistas. E, muitas vezes, é por falta de conhecimento do que foi o holocausto e o nível de discriminação que existe dentro disso. Por isso é importante combater essas ideias e trabalhar na educação e transmissão de valores”, segue Klein.

O lance inicial era de R$ 100.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar